Fred Morgan, de 94 anos, e a sua mulher Vivian Morgan, de 72, um casal Inglês residente no Reino Unido, transformaram a sua mansão localizada em Warwicksire, numa escola para acolher estudantes que já se tentaram suicidar após serem frequentemente vítimas de Bullying na escola. Pelo que se sabe, o casal teve esta ideia após ter conhecimento da história de uma adolescente de 15 anos que se suicidou por ser diariamente vítima de bullying, na qual se inspiraram para começarem com esta iniciativa.

Uns dias depois de saberem desta notícia e de falarem com os pais da adolescente, o casal decidiu ajudar todos os adolescentes que passam pelo mesmo sofrimento que a outra adolescente passou. "Um dia lemos a história horrível de uma adolescente que se tinha matado por ter sido vítima de bullying na escola. Ficámos devastados com a notícia, de tal maneira que decidimos que se pudéssemos ajudar apenas uma criança com este problema já valeria a pena", contou a Idosa de 72 anos, em entrevista ao Jornal Metro.

Segundo esta publicação, o casal já abriu as portas da sua mansão e, neste momento, já acolhe 20 estudantes, com idade compreendidas entre os 11 e os 17 anos, sendo que alguns dos quartos disponíveis foram transformados em salas de aulas. Os jovens continuam a ter aulas, mas com professores que trabalham apenas em part-time e que dão aulas de Inglês, Matemática e Ciências.

Pelo que os idosos relataram na sua entrevista, até ao momento ainda não pararam de chegar pedidos de vários jovens que pretendem estudar na mansão do casal. Um jovem que reside actualmente na mansão prestou várias declarações à imprensa afirmando que "não podia existir melhor ambiente do que aquele em que eu me encontro, finalmente aqui posso sorrir, posso ser quem sou, posso ser feliz. Esta é a minha nova casa e é aqui que me sinto bem. Acho brilhante a ideia do casal Morgan, eles estão mesmo a ajudar todos estes adolescentes como eu. Não poderíamos ter melhor ajuda que esta", conta o jovem de 15 anos que preferiu não revelar o seu nome. Ainda este ano o casal espera acolher mais de 50 jovens.