Vulgar e popularmente referimos que "há coisas que nem lembra ao diabo", mas neste momento podemos referir que "há coisas que lembra aos extraterrestres". O Movimento Raeliano quer construir uma embaixada para extraterrestres em Portugal… E, nesse sentido já foram enviadas cartas ao governo, nomeadamente ao ministro dos Negócios Estrangeiros e Ordenamento do Território, Rui Machete e Jorge Moreira da Silva respetivamente.

Como interlocutor e responsável pelo Movimento Raeliano em Portugal, Marco Antunes, queixa-se da burocracia que envolve a implementação de um projeto desta natureza, bem como o cariz global que o movimento quer dar à construção destas infraestruturas que servirão de guarida aos "nossos criadores". O Brasil também se encontra na linha da frente para acolher a Embaixada apesar de Marco Antunes defender que esta deveria ser criada em Israel, mas devido à instabilidade religiosa e falta de paz, ter-se-á de acolher os "nossos criadores" noutros países.

Segundo este movimento, os "Elohim" que em hebraico significa "Aqueles que vieram dos céus" e que devido a más traduções sucessivas derivaram na palavra singular Deus, criaram todas as espécies e devido ao desenvolvimento científico atual, consideram pertinente voltar à Terra da qual foram criadores de todas as espécies.

As aparições crescentes de ovnis, segundo este movimento, são um sinal de que existe uma vontade crescente dos "Elohim" regressarem e como tal torna-se imperiosa a construção da embaixada. Tanto mais que, segundo defendem, o Rael (interlocutor com os extraterrestres) tem duas missões: "divulgar essa última mensagem na Terra e preparar uma embaixada para receber os nossos criadores durante o seu regresso".

Marco Antunes refere possuir verba para construir este equipamento e que tal poderia colocar Portugal na vanguarda do acolhimento extraterrestre. Desta forma, Portugal poderá ser percursor na construção de embaixadas alienígenas, no entanto, como sugestão, gostaria que se colocasse em hipótese vender alguns estádios construídos para o Euro 2004 para este fim, na medida em que não lhes é conhecida função prática evidente, e assim o passivo ia sendo amortizado... #Curiosidades