Milhares de pessoas participaram na passada quinta-feira, dia 16, na 24ª Marcha dos Vivos, na Polónia. Vários jovens judeus, vindos de Israel e de outros países, caminharam lado a lado com jovens polacos. Esta marcha foi feita ao som de um dos instrumentos de sopro mais antigos. Este instrumento tem o nome de schofar. Para os judeus o schofar é um instrumento tradicionalmente sagrado. Estes jovens participaram nesta marcha como homenagem às vítimas do holocausto da 2ª guerra mundial. Esta marcha é feita todos os anos em silêncio, onde o único som que se ouve vem do Schofar.

A marcha contou com a passagem pela famosa entrada do campo de Auschwitz, onde se pode ler: "Arbeit macht frei", que significa "O Trabalho Liberta". Percorreram ainda a estrada de 3 km, que leva a Auschwitz-Birkenau, onde é feita todos os anos uma cerimónia que pretende recordar as vítimas em frente a um memorial internacional. Auschwitz ficou conhecida como um local de extermínio de inimigos e de grupos indesejáveis da sociedade. Estes campos de concentração tornaram-se símbolos do holocausto da 2ª guerra mundial. Existiam 3 campos principais (Auschwitz I, II e III). Para além destes 3, haviam ainda outros 39 campos, que tinham como principal objetivo o auxílio dos principais campos.

O campo Auschwitz I, onde teve inicia a marcha, foi o 1º campo a ser construído, e era o "centro administrativo dos campos". Foi o campo onde foi testada a 1ª câmara de gás, tendo morrido um total de cerca de 70 mil prisioneiros de origem polaca e soviética. O campo Auschwitz II situa-se em Birkenau e foi construído em 1942. Era utilizado maioritariamente para o extermínio. É, assim, o campo mais conhecido, pois foi onde um maior número de pessoas perdeu a sua vida. Este campo estava equipado com 4 crematórios e câmaras de gás. Cada crematório e câmara de gás podia receber, isoladamente e de cada vez, cerca de 2500 pessoas, isto é, 10.000 pessoas de cada vez. No total morreram neste campo cerca de 1 milhão de judeus e 19.000 ciganos. O campo Auschwitz III foi utilizado maioritariamente para mão-de-obra escrava. #História