Já alguma vez pensou em qual será o pior e o melhor emprego que se pode ter? Curiosa a pergunta, talvez. Foi neste contexto que uma plataforma de procura de emprego online 'CareerCast' decidiu estudar o tema e chegou a um conjunto de respostas interessantes. Segundo se pode constatar no referido site, as profissões foram avaliadas pelos seguintes critérios: salário, fatores ambientais, vestuário, stresse e cansaço físico.

As piores profissões, registadas no ano civil 2015, estão ligadas, principalmente, à comunicação e ao cansaço físico que as mesmas exigem. Em sentido inverso, as melhoras profissões, registadas em igual período do ano 2015, estão ligadas a serviços com um grau elevado de estudos exigidos, como por exemplo Matemática e Engenharia.

A pior de 2015 é, portanto, a profissão de jornalista. A seguir encontram-se duas profissões, que por razões físicas também estão do lado lado negativo: lenhador e militar. Em quarto lugar encontramos a profissão de cozinheiro, para na quinta posição observarmos mais um trabalho ligado à comunicação, neste caso locutor de rádio e pivot. A profissão de Fotojornalista ocupa a sexta posição e Corretor financeiro a sétima. As últimas três piores profissões são: taxista, bombeiro e carteiro.

Por sua vez, a melhor profissão de 2015 é avaliador financeiro. Em segundo lugar, audiologista, e na terceira posição Matemático. Depois, a profissão de estatístico aparece no lado positivo, assim como engenheiro biomédico. cientista de dados é a profissão que se segue. Em sétimo lugar está o emprego de higienista dental/oral, e, em oitavo, o de engenheiro de software. A fechar o top-10, encontra-se ainda terapeuta ocupacional e analista de sistemas.

O mesmo site avançou ainda com os 200 empregos mais bem classificados, onde, entre outros, se destaca as profissões de tradutor, director de recursos humanos, optometrista, meteorologista e programador informático. Portanto, se alguma vez colocou a questão de quais são os melhores e os piores empregos do momento, com esta lista pode concluir que os trabalhos ligados à comunicação, e aqueles que exigem bastante esforço físico, são os piores que pode encontrar. Mas, ao invés, trabalhos com graus elevados de estudos exigidos são, de momento, os melhores.