Stalking é designado como um comportamento de assédio persistente e obsessivo, praticado por outra pessoa. O envio de mensagens, e-mails, telefonemas ou outras tentativas de aproximação de forma persistente podem ser feitos de uma forma aparentemente simpática, mas que pode esconder um comportamento violento. Muitas das vezes este assédio é praticado para conseguir uma tentativa de reconciliação ou uma relação. Não é novo este comportamento, nem raro, pois já afectou cerca de dois milhões de portugueses, sendo que a maior percentagem de vítimas é do sexo feminino, de acordo com um estudo feito por investigadores da Universidade do Minho.

No grupo mais vulnerável estão as mulheres mais jovens. A APAV recebeu 341 queixas por stalking durante o de 2014. A Associação Portuguesa de Apoio à Vítima lançou uma campanha de sensibilização para este novo tipo de fenómeno, chamada "Começa com uma mensagem e acaba por tomar conta da sua vida", com o objectivo de informar as pessoas de que existe uma enorme taxa de probabilidade de que este tipo de comportamento possa vir a agravar-se, transformando-se em comportamentos de insulto, de coacção, de ameaça e até de violência física. Esta campanha também quer alertar para o facto de que muitas vezes este comportamento pode ser confundido com acções de lisonja no contexto de um relacionamento.

Por isso, a APAV considera que é muito importante avisar as autoridades e não destruir o que pode vir a ser considerado como prova. Mantenha todos os registos de contacto que existam, seja por telemóvel, correio electrónico, mensagens ou até mesmo presentes e evite qualquer tipo de tentativa de confrontação verbal ou física.

A APAV também avisa que quem está a ser vitima pode contactar a associação através dos gabinetes espalhados pelo país ou através de uma linha de apoio disponível 24 horas por dia.

Existem casos de famosos que também foram vítimas de stalking, como o de António Manuel Ribeiro, dos UHF, que foi vítima da perseguição de uma fã durante seis anos; esta fã acreditava que estavam destinados a ficar juntos. Foi condenada a dois anos de prisão com pena suspensa. Já Catarina Furtado, só quando foi ameaçada de rapto é que avisou as autoridades de um stalker que ia todos os dias vê-la ao teatro.

A Assembleia Parlamentar do Conselho da Europa assume que 10% da população europeia será ou é vítima de stalking. #Justiça #Crime