Jorge Oliveira, o jovem que foi vítima de bullying, apresentou esta quarta feira queixa na PSP da Figueira da Foz. O vídeo foi gravado em junho de 2014, mas só agora foi revelado após a publicação no Youtube. O caso está também a gerar uma onda de solidariedade nas redes sociais. O jovem conta até com uma página de apoio no Facebook, que em poucas horas já reúne mais de três mil apoiantes.

O caso está a chocar a opinião pública. Jorge é esmurrado e esbofeteado por duas raparigas, enquanto outro rapaz grava o vídeo, que nas doze horas em que está publicado já teve mais de um milhão de visualizações e centenas de comentários a repudiar os acontecimentos. Todos os intervenientes têm entre 15 e 17 anos e frequentam três estabelecimentos de ensino diferentes da Figueira da Foz. Uma das agressoras é filha de um funcionário da Câmara Municipal da Figueira da Foz.

Ao longo de 13 minutos, as agressoras vão trocando entre si para humilhar o rapaz. Entre os insultos, uma das jovens justifica as agressões pelo facto de Jorge Oliveira lhe meter "nojo". Jorge Oliveira não reage com #Violência às agressões, repetindo apenas para que parem. O vídeo terá sido gravado em junho do ano passado, numa rua da Figueira da Foz. Carlos Santos, diretor da Escola Dr. Joaquim Carvalho, onde o aluno frequenta o curso de Multimédia, já repudiou os acontecimentos e garante que vai acompanhar o aluno de perto. Também a Comissão de Proteção de Menores e Jovens foi apanhada de surpresa e garante que vai estar atenta à situação.

Após a publicação do vídeo, a PSP decidiu encetar uma investigação ao caso, que agora ganha mais força com a queixa do jovem agredido. Ele próprio confirmou às autoridades os factos e o momento em que aconteceram.

Onda de solidariedade

O caso está a gerar uma verdadeira onda de solidariedade nas redes sociais. Uma página de apoio a Jorge Oliveira foi criada no Facebook e já conta com mais de 3.500 seguidores. Muitos internautas escrevem também mensagens de repúdio e outros dão força ao jovem. Há já figuras públicas, como os humoristas Nilton e Rui Unas, a manifestarem a sua revolta perante a situação. #Justiça