Em 2013, na Escócia, foi encontrado o corpo de um bebé com apenas seis semanas de vida, embrulhado num lençol e no meio de uma linha de comboio em Edimburgo. Nessa altura, o bebé foi avistado por várias pessoas, que chamaram as autoridades. Após a chegada das entidades competentes, levaram-no de imediato ao hospital para analisarem e avaliarem o seu estado.

O caso ficou entregue às autoridades escocesas, que, desde o momento dessa situação, se dedicaram a tentar encontrar a família "fugitiva" do bebé, sempre sem sucesso. A criança ficou em quarentena no hospital durante alguns dias, tendo sido depois levada para uma instituição de acolhimento temporário, na qual permaneceu até há alguns dias atrás. O bebé, sem identificação, faleceu na quarta-feira, dia 20 de Abril, sendo que não há ainda explicações para a sua morte.

De acordo com o que foi relatado pelo Daily Mail, as autoridades locais fizeram um apelo geral a todos os cidadãos escoceses a convidá-los a comparecer no funeral desta criança, de modo de evitar que a mesma fosse enterrada apenas com a presença das autoridades.

O funeral da criança ocorreu durante a manhã da passada sexta-feira, dia 1 de Maio, no cemitério Seafiel, na capital do país, e contou com a presença de mais de 200 cidadãos escoceses, que se mostraram compreensíveis, emotivos e com compaixão perante a situação, comparecendo, assim, em jeito de homenagem. Enquanto o padre na cerimónia dedicava algumas palavras à criança, a quem todos deram o nome de "little baby boy", por não terem qualquer conhecimento do seu nome ou de algum elemento da sua família, as autoridades e alguns cidadãos colocaram perto do seu caixão flores e também alguns ursos de peluche com a mensagem " R.I.P Little Boy", antes do mesmo ser enterrado.

Apesar de este ser um caso isolado, este simples gesto dos vários cidadãos presente no funeral mostrou, perante todo o mundo, que afinal ainda existe compaixão e respeito pelas situações mais preocupantes que acontecem diariamente. #Crime