Proteger o ambiente é o principal tema da primeira encíclica do Papa Francisco. Nela o líder da igreja católica acusa o homem de ser o principal responsável pelo aquecimento do planeta. Intitulada de "Laudato si. Sobre a protecção da casa comum", em que Laudato si significa 'louvado sejas', em latim, Francisco condena também os países mais ricos por não adoptarem medidas para reduzir as emissões de carbono. O documenta conta com 191 páginas escritas integralmente pelo Papa Francisco.

O texto fala também da importância de se preservar o bem comum e os bens de Deus. A Amazónia é citada como um dos pulmões do planeta e o fim da miséria como prioridade para os países mais pobres. O objectivo do Papa Francisco era publicar a encíclica antes da conferência sobre as alterações climáticas em Paris para pressionar a comunidade internacional a tomar decisões corajosas na Conferência do Clima 2015, em Paris. O objectivo foi cumprido com sucesso uma vez que a conferência irá realizar-se apenas dentro de seis meses.

O antigo arcebispo de Buenos Aires aproveitou para fazer também um apelo para a redução do consumo de materiais plásticos, afirmando que a Terra é a nossa casa e parece que a cada dia se transforma num imenso depósito de lixo. "A destruição do ambiente humano é muito séria, (…) a água pura e potável é um direito humano essencial", afirma o Papa.

A publicação oficial da encíclica foi esta quinta-feira, dia 18 de Junho, mas o texto foi divulgado poucos dias antes, tendo o Vaticano ficado muito irritado com essa mesma divulgação. O superior dos franciscanos em Portugal, o padre Vítor Melícias, explicou que a ecologia é um comportamento e uma atitude do ser humano e por isso tem também uma dimensão religiosa, ética, moral, económica e política.

No documento escrito em seis línguas diferentes (espanhol, italiano, francês, inglês, português e alemão) o Papa acusa os conservadores americanos de serem "marxistas" por se insurgirem contra o capitalismo. O líder da igreja católica tem vindo a ser considerado um progressista no que diz respeito a assuntos sociais. A primeira encíclica atribuída inteiramente ao Papa Francisco fala também de tecnologia, política e dívida externa. A encíclica anteriormente escrita foi redigida também pelo Papa Bento XVI.

De relembrar que o cardeal Bergoglio foi eleito no dia 13 de Março de 2013, segundo dia do conclave, e que escolheu o nome de Francisco. É o primeiro jesuíta a ser eleito Papa, o primeiro Papa do continente americano, do Hemisfério Sul e também o primeiro não-europeu investido como bispo de Roma em mais de 1200 anos, desde o Papa Gregório III, nascido na Síria, que governou a Igreja Católica entre 731 e 741. Portugal aguarda a visita do Papa Francisco a Fátima em 2017. #Religião