O Serviço Nacional de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) vai ter novos inspectores já em 2016. O director nacional da entidade anunciou hoje (23 de Junho) que o organismo terá novos inspectores no próximo ano. Mas antes, em Setembro deste ano, vai abrir um curso com 45 elementos. O responsável falou na cerimónia dos 39 anos do SEF.

António Beça Pereira frisou que esta é a primeira vez em mais de uma década que o SEF abre um concurso para novos inspectores, e este terá a duração de um ano. O serviço quer que o Ministério da Administração Interna admita 45 inspectores-adjuntos e dez inspectores no curso do próximo ano. O dirigente sublinhou a enorme falta de profissionais.

Verão com segurança reforçada nos aeroportos

Como se verificou no ano passado, o SEF vai reforçar a segurança nas zonas aeroportuárias de Lisboa e Faro nos meses de Verão, mesmo se a situação de existência de menos inspectores do que o desejado obriga a maior esforço dos profissionais. Em Lisboa, por exemplo, há horários com fluxos de passageiros demasiado grandes para haver uma resposta adequada por parte do SEF. Para colmatar este problema, Beça Pereira defende que o Serviço de Estrangeiros e Fronteiros, a ANA Aeroportos e as companhias aéreas deveriam conjugar os seus esforços.

Falta de meios humanos

O concurso para novos inspectores do SEF vem responder à falta de meios da entidade. Recentemente, suspendeu a sua participação no resgate de imigrantes no Mediterrâneo (onde, de resto, Portugal tem dado a sua ajuda). Mas mesmo dentro de Portugal a situação de carência está a ter repercussões - algumas zonas ficaram com menos inspectores para ser reforçada a segurança nos aeroportos de Lisboa, Porto e Faro. Acácio Pereira, do sindicato de inspectores do SEF, defende que faltam 200 inspectores ao SEF.

Actualmente, o organismo de segurança tem menos de 750 efectivos no conjunto das operações em Portugal e no estrangeiro. Isto numa altura em que a entrada de migrantes ilegais nas fronteiras europeias tem sido um problema recorrente, com muitos dos migrantes a perderem a vida no Mediterrâneo, onde os meios de patrulha têm sido reforçados. #Emigração #Recrutamento