As rivalidades entre irmãos é algo tido como natural. Porém, esta notícia poderá apimentar ainda mais as desavenças existentes na relação de irmão(s) para irmão(s). Segundo um estudo feito por epidemiologistas noruegueses, realizado na Universidade de Illinois, os irmãos mais velhos possuem um Quociente de Inteligência (QI) superior aos "benjamins" da família. Este facto encontra-se relacionado com a ordem do nascimento e os traços da personalidade de cada elemento familiar. Esta investigação, que se tornou conhecida após ter sido publicada no jornal "Journal Research in Personality", revela ainda que os primogénitos têm tendência a ser mais extrovertidos, cuidadosos, menos ansiosos, mas em contrapartida são menos sociáveis.

Os investigadores, que se debruçaram sobre este tema durante vários meses, reuniram diversas características plausíveis que permitiram chegar às conclusões em questão. Como tal, nesta investigação participaram 377.000 alunos do ensino secundário. Assim, os cientistas puderam analisar a relação entre a data de nascimento e as decisões que cada um toma no seu dia-a-dia. Além disso, também se estudou a influência de diversos factores, como a idade, o sexo, o número de irmãos, a estrutura familiar, bem como a situação financeira de cada inquirido.

Existem várias hipóteses que visam explicar a conclusão deste estudo. De um vasto conjunto de teorias, destacou-se uma que defende que os primogénitos, por serem os primeiros filhos, acabam por receber uma atenção e dedicação exclusiva, o que influencia e se repercute no desenvolvimento do seu raciocínio, pensamento e formação do seu vocabulário. Após perderem o seu estatuto de filho único, os, anteriormente, primogénitos assumem o papel de tutor, que acarreta uma maior responsabilidade, contribuindo, assim, para o aumento da minuciosidade e organização do seu pensamento.

Com base em todas estas análises, os investigadores concluíram que os irmãos mais velhos reúnem todas as condições para possuírem uma inteligência superior aos irmãos mais novos. Esta inteligência poderá refletir-se num QI até três pontos acima em relação aos segundos filhos, o que poderá ser a diferença entre uma nota escolar muito boa e boa.

No entanto, e como se trata apenas de um estudo, não estamos perante uma conclusão universal. Os investigadores realçaram que estas diferenças destacadas não deverão interferir na estrutura familiar, apesar de os conflitos entre irmãos existirem usualmente. #Educação