Pedro Dinis salvou no passado sábado, dia 1 de Agosto, em Paris, uma cadela que foi enterrada viva, alegadamente pelo seu dono. Segundo o português conta no seu Facebook, ele e uma amiga estariam a passear pelas ruas da capital francesa e avistaram o que parecia uma cabeça de um cão. Rapidamente aperceberam-se de que o animal ainda estaria vivo, levando-o para o veterinário. O dono da cadela já foi identificado e as redes sociais pedem pena máxima para o alegado autor do #Crime.

Um português contou no seu Facebook os pormenores do salvamento de uma cadela enterrada viva, ilustrando com várias fotografias o estado da cadela e tornando a sua história rapidamente viral, pelos contornos macabros de um crime que poderia ter facilmente terminado em tragédia. Segundo Pedro Dinis, um passeio com uma amiga fez com que conseguisse avistar o animal completamente enterrado, só sendo visível a cabeça. A cadela estava visivelmente em estado de choque e completamente desidratada, tendo sido salva pela atenção do português.

Segundo o “Correio da Manhã”, as autoridades francesas já identificaram o dono da cadela, um jovem de 21 anos, que alega não ter sido o autor deste crime macabro, pois, segundo disse, teria perdido o animal e andava há dias à sua procura. O jovem vai ser agora presente a tribunal acusado de maus-tratos a animais, podendo ser condenado a uma pena de prisão que pode ir até dois anos ou então uma multa exemplar no valor de trinta mil euros.

Para os milhares de internautas que já tiveram conhecimento desta história, que acabou por terminar bem graças ao português, a condenação de estes tipo de actos cobardes e macabros tem que ser exemplar pelo que muito deles, nas redes sociais, pedem a pena máxima para o alegado autor deste crime, tendo já uma petição para esse mesmo fim atingido o valor impressionante de 175 mil assinaturas. Quanto a Pedro Dinis, este é agora o herói mais falado de Paris, por ter agido rapidamente, mas também por divulgar toda a história nas suas redes sociais. #Animais