No final do mês de agosto, Bruno Matias, youtuber português, publicou um vídeo que tem sido bastante partilhado nas #Redes Sociais. Com o instrumental de Os Tais, de Carlão, Abandonamos #Animais, como é intitulado, é mais do que um vídeo de humor. Apesar da génese do canal ser humorística, este vídeo tem também como objetivo "sensibilizar as pessoas", diz o youtuber à Blasting News. Na descrição do vídeo, Bruno faz duas perguntas: "Como é que alguém pode ter a coragem de abandonar o animal a que se afeiçoou no momento em que vai de férias? Pior, como é que consegue desfrutar das férias sabendo que o abandonou?". As associações Animais de Rua e Associação Mídias não ficaram indiferentes e também postaram o vídeo nas suas páginas das redes sociais.

Com o recurso constante à ironia, Bruno Matias também não poupa à critica direta. Numa das passagens, o jovem de Coimbra fala das férias e a altura em que o animal de estimação fica "com a ratazana", sendo que "ainda ontem (estava) ao quente na tua cama". No final da rima, é perentório: "a ti que te passem o certificado de banana". No facebook, a associação Animais de Rua relembra que, em Portugal, "mais de 10 mil animais são abandonados anualmente", sendo que, segundo as estatísticas, há "cerca de meio milhão de bichos sem dono ou porto de abrigo". A associação vai mais longe e lembra os casos em que alguns animais "são afogados, outros mortos à pancada, outros atirados para contentores de lixo, dentro de sacos, ou simplesmente deixados na beira da estrada, à fome e ao frio, à espera de que um milagre aconteça ou de que a morte venha buscá-los". Os factos são chocantes e vão ao encontro da mensagem final do vídeo: "E tu? Gostavas de ser abandonado?".

Abandonamos Animais é um dos mais de 120 vídeos que Bruno Matias já publicou no Youtube. Apesar de fazer vídeos desde 2011, o canal atual (em que teve mais sucesso) foi criado em fevereiro de 2012. O sucesso, ao longo dos mais de 3 anos e meio, já valeu ao jovem cerca de 25 mil subscritores e mais de dois milhões de visualizações. Até à publicação deste artigo, o vídeo mais recente já tinha mais de sete mil visualizações. Veja-o aqui: