O caso de um emigrante português que tentou estrangular uma paramédica remonta a Maio de 2014, e foi agora julgado no tribunal de Vaud, com condenação de 45 dias na prisão e 975 francos como pagamento de custos judiciais, segundo avança o jornal suíço 20 minutes. Este caso começou com uma tentativa de suicídio por parte do emigrante luso, tentativa essa que não foi bem sucedida, tendo uma ambulância chegado ao local a tempo de evitar a morte do português.

Visivelmente perturbado e agressivo, o emigrante com cerca de 50 anos foi amarrado com correias de segurança na maca do veículo, e teve a companhia de uma paramédica durante a viagem para o Hospital de Nyon. No entanto, a meio da viagem, e aproveitando alguns solavancos da ambulância, o português conseguiu soltar as correias, e empurrou a paramédica contra uma das paredes do veículo, tendo a socorrista caído no chão. Seguiu-se uma luta entre ambos, com o  português a gritar e a agredir a paramédica, que tentava prender o homem à maca.

Agitado, e gesticulando, o português retirou um dos atacadores do calçado, e tentou estrangular a paramédica, que se conseguiu libertar porque a ambulância seguia à máxima velocidade, e o português ficava desequilibrado com algumas manobras do veículo. A paramédica referiu em tribunal que o facto da ambulância ir a alta velocidade parecia entusiasmar o atacante. Ansioso, e numa manobra de desespero, o homem acabou por tentar abrir a porta com o veículo em andamento, enquanto a paramédica lutava para o voltar a prender à maca. Alertado pelos barulhos, o condutor da ambulância parou o veículo, e penetrou na cabine traseira para ajudar a colega em apuros, tendo ambos conseguido prender o suicida descontrolado.

Com as autoridades policiais no local, o português foi identificado e levado para o hospital pela polícia, tendo sido esta semana condenado a 45 dias de prisão, sem direito a liberdade condicional, pois já apresenta cadastro criminal. O agressor terá ainda de pagar os custos judiciais à justiça de Vaud, que ascende a um total de 975 francos. #Emigração