Ontem, 14 de Fevereiro, foi dia de São Valentim e a transportadora aérea portuguesa, TAP, decidiu lançar um concurso para celebrar o amor. O desafio consistia em premiar quem se apresentasse com indumentária a rigor para um casamento. Porém, uma das duplas vencedoras não reuniu o consenso dos seguidores. Nas #Redes Sociais chegam comentários homofóbicos contra a escolha da companhia que elegeu um casal homossexual.

Celebrar o amor e oferecer viagens; era esta a ideia da TAP. O passatempo lançado era destinado ao Aeroporto de Lisboa, futuro Humberto Delgado, e ao Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto. Os apaixonados tinham de dirigir-se aos respectivos aeroportos e encontrar a assistente de bordo que continha os tão desejados bilhetes. Em Lisboa, os dois primeiros casais a chegar ao dito balcão ganhavam uma viagem até Natal, no Brasil. Já os quatro casais seguintes embarcavam para Roma, Paris, Funchal e Ponta Delgada. Já no Porto, os destinos escolhidos para os primeiros quatro casais eram Paris, Londres, Amesterdão e Madrid.

A polémica começou quando foi entregue a última viagem no Porto. O prémio foi conquistado por duas mulheres que se assumiram como sendo um casal homossexual. Assim que a companhia portuguesa partilhou a imagem das duas mulheres nas redes sociais de imediato começaram a chegar comentários homofóbicos. Porém, sobressaem aqueles que servem para dar os parabéns às duas intervenientes na fotografia e também à própria companhia, adiantando que foi uma grande iniciativa ao apoiar o amor de igual maneira. A referida imagem conta já com mais de três mil gostos e 200 comentários.

Depois de toda esta polémica que se gerou na página TAP Portugal na rede social Facebook, a própria companhia já veio defender-se. De forma simples e resumida, pode ler-se que “a TAP cumpre a Constituição e a Lei portuguesas e não faz discriminação em função da orientação sexual”, e pede ainda que a linguagem utilizada nos comentários seja tida em atenção, a fim de não ofender quem respeite outra opção. #LGBT