Dois homens de nacionalidade portuguesa e um outro, cabo-verdiano, sofreram ferimentos considerados graves na sequência de um acidente de trabalho. O acidente ocorreu na manhã deste sábado, 14 de Maio, numa obra em construção no cais da Palmeira, na ilha do Sal. Os portugueses são mecânicos, trabalhadores de uma empresa do grupo Mota-Engil e tiveram de ser hospitalizados. No entanto, apesar dos ferimentos graves, estão fora de perigo.

Segundo o portal Ocean Press, o acidente de trabalho aconteceu cerca das 10 horas da manhã (8 horas em Portugal continental) deste sábado, 14 de Maio, no cais da Palmeira, na ilha do Sal (Cabo Verde). Os três trabalhadores, os portugueses Carlos da Silva e Nelson da Silva, e o cabo-verdiano Paulo Ramos, terão sido atingidos por um pesado de mercadorias que tombou sobre eles. As vítimas foram socorridas pelos #Bombeiros da Protecção Civil e transportadas para o Hospital Ramo Alves, onde se encontravam fora de perigo. Um dos homens terá sido submetido a uma cirurgia.

Por sua vez, o Jornal de Notícias refere, citando Sílvia Sousa, cônsul honorária de Portugal na ilha do Sal, que os dois portugueses são trabalhadores da CPTP (Companhia Portuguesa de Trabalhos Portuários e Construções), uma empresa pertencente ao grupo Mota-Engil desde 2002. O mesmo jornal informa que uma das vítimas portuguesas sofreu uma fractura numa perna, tendo sido submetida a uma intervenção cirúrgica, enquanto o outro fracturou as costelas. Porém, os dois homens estão livres de perigo e o seu estado de saúde não inspira cuidados.

De referir que, segundo o Ocean Press, um homem de 54 anos já tinha morrido durante os trabalhos numa das obras em construção no mesmo cais da Palmeira. Carlos Santos, “Calú” como era mais conhecido, foi vítima de um acidente com um camião, que lhe provocou um traumatismo cervical que lhe foi fatal. A vítima era natural de São Vicente e residia há cerca de 20 anos na ilha do Sal. O mesmo portal noticioso dava conta de que a sua morte contribuiu para o aumento do número de óbitos ocorridos em obras de construção em Cabo Verde. #Emigração