Sabia que existe uma biblioteca digital para orgasmos reais? A marca erótica Bijoux Indiscrets lançou a ideia e incita as mulheres a gravar e publicar os sons dos seus orgasmos, com o intuito de mostrar que o som do clímax é diferente daquele que acontece nos filmes pornográficos. O objetivo é mostrar que a ficção não deve impor restrições à vida sexual das pessoas. 

A marca espanhola encomendou um estudo e surgiu o relatório intitulado "Ficção vs Realidade no sexo", que serviu para lançar a biblioteca. As responsáveis da empresa espanhola, representada em Portugal por Elsa Viegas e Marta Aguiar, perceberam que existiam muitos tabus relativamente à sexualidade feminina, sobretudo com o lançamento de um vibrador em formato de diamante, denominado Twenty One. 

Abordar os mitos que existem à volta desta temática é o objetivo do estudo, que contou com a colaboração online de 1500 indivíduos espanhóis de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 18 e os 55 anos. 

Os resultados do estudo indicam que 21% dos indivíduos do sexo masculino e 52% dos indivíduos do sexo feminino tinham simulado um orgasmo; já metade das mulheres e um terço dos homens acreditavam que gritar ou gemer durante o acto sexual é um bom indício para uma boa relação sexual. 

De acordo com Elsa Viegas, os resultados mais inquietantes do estudo foram os relativos à simulação de um orgasmo. Não há necessidade de fingir um acto que deve ser de prazer, salienta a empresária.

A Bijoux Indiscrets juntou-se à empresa Proximity Madrid para inovar com a biblioteca de orgasmos reais. Atualmente, a biblioteca encontra-se disponível em espanhol e inglês, havendo planos para disponibilizá-la posteriormente em francês. 

Existe a necessidade de mostrar às pessoas, sobretudo do sexo feminino, que não existem dois orgasmos reais, assim como não existem duas pessoas iguais. A gravação e publicação do som do orgasmo feminino é completamente anónima.

Mais tarde, Elsa pretende averiguar as diferenças culturais e geográficas dos sons que ocorrem durante o clímax. Atualmente, a biblioteca digital conta com a gravação de 250 orgasmos, sendo que a primeira centena já foi reproduzida 110 mil vezes. 

Elsa Viegas mostra-se muito orgulhosa pelo feito alcançado, tendo conseguido pôr muita gente a falar de sexo, segundo o site P3 do Público.  #Curiosidades