Um emigrante português é suspeito de ter matado a ex-companheira a tiro de caçadeira numa rua de Cavaillon, em França. O #Crime terá ocorrido na noite da passada segunda-feira, 19 de Setembro, depois de João Guilherme Espadinha ter chegado de Portugal, onde esteve durante uns dias em Cano, no concelho de Portalegre, de onde é natural. A vítima, Lídia Ferreira da Costa não sobreviveu tendo o óbito sido declarado no local. O presumível agressor acabou por disparado contra si, sofrendo ferimentos graves no rosto, tendo sido helitransportado para o hospital.

De acordo com o relato de alguns amigos de João Espadinha, de 63 anos, este terá aceitado o fim definitivo da relação conturbada que mantinha com Lídia Costa, de 57 anos, há cerca de dois meses. No entanto, um amigo contou que o homem andava de “cabeça cheia” com “algumas histórias” que lhe contavam sobre a ex-companheira. Uma pressão psicológica que terá contribuído para que João Espadinha tenha cometido aquele crime. Tudo terá acontecido por cerca das 19:30 horas de segunda-feira, numa rua de Cavaillon. Tudo indica que o homem terá abordado a ex-companheira e, no âmbito de uma discussão, pegou numa arma caçadeira e disparou à queima-roupa sobre Lídia Ferreira da Costa, que tombou inconsciente no asfalto.

Eventualmente transtornado com o acto que tinha acabado de cometer, João Guilheme Espadinha viria a fazer um novo disparo com a arma, mas desta vez, sobre si próprio, num pátio de um edifício. Quando os bombeiros chegaram ao local depararam-se com a vítima em estado bastante grave, tendo sido necessário recorrer a um helicóptero para o transportar para uma unidade hospitalar de Marselha. Quanto ao corpo da mulher, foi removido para o Instituto Forense de Nimes, para ser sujeito a autópsia.

Em declarações aos jornalistas, algumas pessoas descreveram Lídia Costa, mãe de dois filhos, como uma “mulher valente” e “discreta”. Trabalhava diariamente, desde madrugada, numa empresa fornecedora de frutas e legumes, e ainda fazia limpeza num bar. A sua morte provocou uma reacção de choque para os moradores da zona onde ocorreu o crime, testemunhado por alguns residentes que se aperceberam da discussão entre o casal. #Emigração