Uma violenta colisão com um veículo pesado de transporte de mercadorias matou três trabalhadores da construção civil, emigrantes portugueses, na Bélgica. Outros três que seguiam na mesma carrinha de cabine dupla e caixa aberta, com matrícula portuguesa, sofreram ferimentos considerados graves, tendo sido transportados para uma unidade hospitalar. O acidente ocorreu ao final da tarde de quarta-feira, 9 de Novembro, na E42, próximo de Villers-le-Bouillet, no sentido Liège-Namur. No entanto, só nesta quinta-feira foi divulgada a nacionalidade das vítimas, apesar de não ter sido fornecida qualquer identificação.

As causas do trágico acidente ainda se encontram a ser apuradas pelas autoridades policiais, no entanto vários meios da imprensa belga apontam o piso escorregadio, face à existência de gelo na estrada para justificar a violenta colisão. Até porque os bombeiros foram accionados para socorrer também outros acidentes, pelo menos dois, ocorridos na mesma zona. Tudo indica que os seis emigrantes portuguses, com cerca de 45 anos, regressavam de uma obra em Liège onde tinham estado a trabalhar, quando a carrinha onde viajavam, registada em Portugal, entrou em despiste, tendo chocado violentamente na traseira do atrelado de um camião. Há, ainda, o relato que aquela colisão terá envolvido mais dois automóveis ligeiros de passageiros, provocando ferimentos considerados ligeiros em duas outras pessoas.

Quando os socorristas chegaram ao local do acidente depararam-se com as vítimas encarceradas nos escombros da carrinha, com dois deles já sem sinais vitais. Um terceiro homem viria a falecer pouco depois de ter sido retirado do interior do veículo. Nas operações de socorro estiveram envolvidos diversos meios dos bombeiros, designadamente cinco ambulâncias e três viaturas do Serviço Móvel de Urgência e Reanimação. As autoridades belgas tiveram dificuldade em identificar as vítimas, devido ao facto de nem todas terem consigo documentos pessoais e dos feridos não conseguirem fazer entender na linguagem daquele país. #Acidente Rodoviário #Emigração #Óbito