É designado por Baleia Azul é um jogo considerado por muito perigoso. Com origem na Rússia há mais de um ano, desafia jovens adolescentes a se mutilarem, podendo até chegar ao suicídio. O jogo é expandido através das redes sociais e já terá feito vítimas em alguns países. Em Portugal, o desafio está a deixar os pais assustados e preocupados, e já foram identificados dois casos, alegadamente, relacionados com o jogo.

Aquele que já é considerado como um dos maiores crimes cibernéticos rapidamente se expandiu a alguns países, como França, Espanha, Roménia, Inglaterra e Brasil. E, terá entrado em Portugal através do “país irmão”, tendo em conta o facto de se falar a mesma língua.

Publicidade
Publicidade

Aliás, há notícias de dezenas de casos brasileiros associados ao Baleia Azul. Tanto que já levou os responsáveis governamentais pela Justiça brasileira a determinar uma investigação.

Tudo começa quando a “vítima”, sobretudo adolescentes, na sua maioria com idades entre os 12 e 14 anos e som tendência para a depressão, recebem uma mensagem através da #Internet, nomeadamente pela aplicação WhatsApp de uma pessoa designada por “administrador” ou “curador”. A mensagem surge como uma ameaça e determina que o alvo envie vídeos e fotografias que comprovem o cumprimento das ordens dadas. Normalmente começa por exigir que o jovem use um objecto cortante para escrever na própria mão um código. Depois terá de assistir a filmes de terror, durante a madrugada, prosseguindo com algumas automutilações. A última mensagem exige que a vítima acabe com a sua própria vida, determinando, assim, o suicídio.

Publicidade

Uma jovem brasileira, que conseguiu resistir e abandonar o Baleia Azul, contou ao jornal Globo que via naquele jogo uma saída para a sua depressão. Razão pela qual a adolescente de 15 anos aceitou os desafios. Acabou por ser descoberta pela mãe, tendo sido hospitalizada para ser tratada. O facto de o “curador” ou “administrador” dizer que possui elementos sobre o jovem, nomeadamente morada, hábitos de vida e qual o seu núcleo familiar, ameaçando-o, faz com que os jovens abordados tenham medo que algo aconteça de mal, acabando por aceitar entrar na rede.

Nos últimos dias foram noticiados dois supostos casos relacionados com o Baleia Azul em Portugal. No Algarve, uma jovem de 18 anos atirou-se de uma ponte para uma linha ferroviária, alegadamente para se suicidar. Tinha tatuada numa perna a palavra “sim”. O outro caso foi registado em Sines, com um adolescente de 15 anos a ser, também, hospitalizado com cortes num braço, entre eles o desenho de uma baleia. #Crime #Casos Médicos