Android 5.0 Lollipop também para Nexus 4 e Nexus 7 2012

Com a evolução tecnológica atual, há sempre o receio de que quando compramos um smartphone novo, passados uns meses ele esteja desatualizado. No caso da plataforma Android, pelo fato de os fabricantes colocarem os seus softwares proprietários, existe sempre uma demora adicional para sair a atualização de software assim que sai uma nova versão Android; pode chegar a vários meses ou até nunca chegar.

Neste caso, e embora o Google garanta apenas 18 meses de atualizações gratuitas em relação à sua plataforma, os Nexus 4 e Nexus 7 2012 com dois anos de idade também vão receber de forma oficial a atualização do novo software.

Publicidade
Publicidade

Esta medida só dá mais credibilidade à empresa e ao mesmo tempo resolve o problema da fragmentação da plataforma de forma gradual.

É possível encomendar o novo Nexus 9 pela Google Play portuguesa

Já é possível encomendar o novo Nexus 9 pela Google Play em Portugal com entrega prevista para o princípio de Novembro.

Para quem quiser adquirir o novo Nexus 9, com o novo Android 5.0 Lollipop a correr pela primeira vez num processador de 64-bit, tem a opção WiFi de 16 GB por 399 euros e de 32 GB por 489 euros com os portes de envio incluídos neste preço. Além disso, aparece na página oficial a versão LTE por 550 euros mas sem previsão de entrega. Por fim, a capa de proteção oficial tem um custo de 39 euros.

No entanto, o Nexus 7 deixou de estar disponível e ainda não estão previstas novidades em relação ao Nexus 6.

Publicidade

Cartão SIM programável para os novos iPad nos EUA e Reino Unido

Com tanta #Inovação tecnológica a que se assiste todos os dias, ainda se usa um cartão de plástico e o respetivo leitor embutido nos nossos telemóveis, smartphones e tablet para podermos configurar a nossa operadora no nosso dispositivo. Muitas vezes este leitor poderia ser perfeitamente suprimido com outras soluções alternativas de modo a desocupar espaço no nosso dispositivo dando lugar a mais bateria ou incluir outro tipo de sensores, por exemplo.

No entanto e como sempre, a Apple tenta contrariar esta situação e inovar nesta área com o seu cartão SIM programável, mesmo depois de ter evoluído o cartão SIM para o micro-SIM e o nano-SIM em versões iPhone e iPad anteriores.

Com este cartão, o utilizador pode selecionar a sua operadora sem a necessidade de mudar de cartão SIM quando pretender mudar de operadora. Para já nem todas as operadoras acordaram com esta nova situação, mas será uma questão de tempo até que este sistema se torne popular ou até mesmo venha a eliminar por completo a inserção de qualquer tipo de cartão SIM.

Está disponível apenas para os EUA e Reino Unido. Falta saber se as operadoras portuguesas também estarão dispostas a aderir a esta solução.