Desde 1 de Janeiro de 2014 o Facebook está a oferecer a cobertura dos custos de congelamento dos óvulos às suas colaboradoras. A Apple pretende oferecer o mesmo serviço às suas funcionárias a partir de Janeiro de 2015. Realça também que atualmente também oferece um programa de assistência para a adoção de crianças, em que a empresa reembolsa os colaboradores pelas despesas inerentes ao processo.

De acordo com a NBC News, estas empresas podem ser apenas as primeiras de muitas a oferecerem este benefício por razões não médicas, uma vez que este método foi desenvolvido para pacientes com doenças como o cancro. Com esta medida esperam encorajar os colaboradores do sexo feminino a ficarem mais tempo nas empresas, bem como criar um incentivo para a sua contratação, uma vez que atualmente apenas 30% dos seus colaboradores são mulheres.

Publicidade
Publicidade

Um dos principais objetivos é que essas colaboradoras se possam focar apenas na carreira numa fase inicial, fase essa que pode coincidir com o seu pico de fertilidade, sem que isso comprometa o desenvolvimento de uma família no futuro. Por exemplo, os óvulos preservados aos 20 anos de idade têm uma maior possibilidade de fertilização, do que aos 30 ou 40 anos, idades em que existe um declínio de fertilidade.

Muitas mulheres vão com certeza usufruir destes benefícios, mas é algo que, para além das aparentes vantagens, pode oferecer bastantes problemas, nomeadamente o facto de poder ser visto como mais uma forma de pressão para que as mulheres adiem a maternidade.

Já Glenn Cohen, professor da Universidade de Harvard, levanta um ponto bastante válido no seu blog onde pergunta:

"... podem [as colaboradores] tomar isso como um sinal de que a empresa pensa que trabalhar lá e a sua gravidez são coisas incompatíveis?"

O pagamento da preservação de óvulos é uma novidade na longa lista de benefícios que as empresas de tecnologia oferecem aos seus colaboradores.

Publicidade

O custo deste procedimento é elevado e ronda os 10 mil dólares (cerca de 7900 euros), um valor que duplica quando é necessário repetir a colheita de ovócitos e proceder à sua congelação, o que acontece com alguma frequência. Para além deste valor, é necessário pagar o armazenamento dos óvulos congelados com um custo mensal de cerca de 500 dólares (cerca de 395 euros).

O Facebook já oferece uma comparticipação de 20.000 dólares (15.700 euros). A Apple irá pagar o valor total do procedimento já a partir do próximo ano.