A mais recente funcionalidade da rede social Facebook é aquela que todos esperam nunca ter de utilizar. Ontem, o Facebook lançou o "Centro de Segurança". Esta ferramenta é ativada logo após o acontecimento de um desastre natural, e para tal usa a cidade onde diz que vive ou a sua localização atual, caso tenha dado permissão e recorra à funcionalidade "Friends Nearby" (Amigos nas Proximidades), e permite avisar os amigos e a família que o utilizador está bem, e manter-se atualizado acerca do estado de outros. 


"Em tempo de desastre ou crise, muitas pessoas voltam-se para o Facebook para verificar como estão os entes queridos e obter atualizações", escreve a empresa num artigo do blog sobre a nova funcionalidade. "São estes os momentos em que a comunicação é mais crítica, tanto para as pessoas das áreas afetadas, como para os amigos e familiares que estão ansiosos por notícias". 


O Facebook disse também que o recurso cresceu de várias lições que aprendeu e que o trabalho começou imediatamente após o terramoto e Tsunami de 2011 no Japão. 


"Os nossos engenheiros no Japão deram o primeiro passo na direção da criação de um produto para melhorar a experiência de se ligar novamente com as pessoas que lhe importam após um desastre natural", escreveu a companhia. "Eles construíram o Disaster Message Board (Quadro de Mensagens para Desastres) para facilitar as comunicações com outros. Lançaram o resultado como um teste e um ano depois a resposta foi esmagadora". 


A funcionalidade é mesmo muito simples de usar, apenas aparece durante um desastre natural, e assim que está disponível o utilizador carrega num botão que diz "Estou seguro". De forma reciproca, outros utilizadores recebem notificações sobre amigos em zonas de desastres assim que se ligam ao Facebook. 


O gigante das redes sociais vai também trabalhar com as autoridades nacionais relevantes em casos de desastres naturais. A funcionalidade deve estar já disponível mundialmente para todos os utilizadores do Facebook e vai estar disponível em todas as plataformas como Android, iOS, telefones com a aplicação Facebook, e claro a versão online da rede social.