Hackers governamentais chineses são os principais suspeitos do ataque às redes informáticas da USPS (United States Postal Service - Serviço Postal dos Estados Unidos), pondo em causa a segurança dos dados pessoais de mais de 800.000 empregados e reformados. Fontes oficiais da empresa governamental reconheceram segunda-feira ter havido “intrusão não autorizada na segurança de alguns dos sistemas. As investigações decorrem, em colaboração com a Autoridade Federal." (FBI). Os dados pessoais em causa incluem nomes, números de Segurança Social, datas de nascimento, endereços postais e códigos de empregados utilizados nos pagamentos. Todos os empregados, desde o carteiro ao Chefe Geral dos Correios, ficaram expostos.

Já houve este ano mais dois casos de ataques aos sistemas de Gestão de Pessoal e aos de uma empresa subcontratada para verificações de segurança. Todos estes casos com ligações a elementos do Governo Chinês, segundo fontes anónimas familiarizadas com a investigação.

A notícia de mais este caso surge numa altura em que o Presidente Barack Obama está a ter conversações em Pequim com o seu homólogo, o Presidente Xi Jinping, e em que decorre a cimeira económica entre os dois países.

As autoridades chinesas sempre negaram qualquer envolvimento em actividades de "cyber-crime", fazendo notar que a lei chinesa proíbe tais actividades.

Os Estados Unidos elevaram para o topo das prioridades nas relações bilaterais as questões relacionadas com cyber-segurança e representantes oficiais estão a pôr essas questões sempre que se encontram com os seus homólogos de Pequim.

A recente intrusão foi levada a cabo por um "actor sofisticado que parece não estar interessado em roubo de identidade ou fraude de cartões de crédito," disse o porta-voz da USPS, David Partenheimer.

"É um facto infeliz da vida moderna que todas as organizações com ligação à Internet sejam um alvo constante de intrusão informática," disse Patrick Donahoe, Chefe Geral dos Correios, "e o Serviço Postal dos Estados Unidos não é diferente nisso. Felizmente neste caso não detectámos quaisquer indícios de utilização maliciosa dos dados e estamos a tomar providências para ajudar os empregados a protegerem-se contra qualquer potencial mau uso dos seus dados."