Na primeira parte deste tema abordamos alguns sistemas operativos que podem ser alternativas ao tradicional Windows e que não têm qualquer custo. Hoje vamos apresentar alternativas a programas que são utilizados por milhares de pessoas no mundo, mas apresentaremos as versões gratuitas. Todos necessitamos de ter um antivírus no nosso computador ou do tradicional Office da Microsoft para conseguir abrir e trabalhar alguns documentos; para os amantes da fotografia, o Photoshop é quase uma bíblia. Mas é realmente necessário pagar para conseguir utilizar este tipo de software? De seguida vamos apresentar alternativas a este tipo de software que podem ajudar a poupar dinheiro em casa.

Publicidade
Publicidade

Em termos de antivírus a oferta é bastante vasta, pois existem diversas opções gratuitas. Muitos dos fabricantes optam por lançar entre duas a três versões, em que uma é gratuita, para que os utilizadores vejam o "poder" do antivírus, e depois apresentam também uma versão paga, que é mais completa; alguns apresentam ainda uma versão premium. No entanto, as versões gratuitas que disponibilizam são por norma muito completas e para utilização pessoal são mais que suficientes. Assim sendo, apresentamos o Avast como uma boa escolha, pois é por muitos considerado como a melhor distribuição gratuita da atualidade. É de fácil utilização, tem constantes atualizações e costuma ser um bom bloqueador de vírus e malware. Existem depois as versões pagas, que podem ser adquiridas a qualquer altura como um upgrade à versão gratuita, caso necessitem de uma proteção em maior escala.

Publicidade

No que diz respeito ao altamente conhecido Microsoft Office, as opções também já são algumas. A que escolhemos para apresentar é o LibreOffice, cujo nome foi escolhido para não deixar dúvidas de que é um software gratuito. Esta aplicação contém todas as funções esperadas num pacote profissional como por exemplo: processador de texto, folhas de cálculo, apresentações, editor de desenhos, bases de dados e até criação de fórmulas matemáticas. Para quem está habituado a utilizar a aplicação da Microsoft, não terá qualquer problema em passar para o LibreOffice, pois o grafismo é bastante idêntico.

Em último lugar deixamos uma alternativa para quem gosta de trabalhar imagens e fotografias pessoais como hobby. O Gimp é um software poderoso, mas de utilização bastante simples e que para brincar em casa é uma excelente alternativa aos softwares tradicionais. Para um profissional é provavelmente limitado, mas para um curioso é uma boa escolha, pois tem todas as funcionalidades necessárias para trabalhar as fotografias pessoais, imagens para utilizar em trabalhos, etc. e não tem de efetuar qualquer gasto para obter esta aplicação.