A Microsoft vai deixar cair o nome e a marca do Internet Explorer, o seu histórico browser (navegador). Depois de algumas indicações anteriores, um tweet de um Microsoft Student Partner, Thomas Nigro, lançou o tema para a ribalta. De acordo com o site Mashable, o novo navegador chamar-se-á Spartan e já virá com o Windows 10, a próxima versão do sistema operativo. Contudo, o Internet Explorer 11 estará também incluído, por questões de compatibilidade. 


As críticas apontam que se trata de um "rebranding", de uma mudança de nome ao Internet Explorer, uma vez que a engenharia utilizada (o motor de layout Trindent e o motor Javascript Chakra) serão os mesmos. Contudo, espera-se que a experiência de utilização seja mais semelhante aos dos outros navegadores mais utilizadores, o Mozilla Firefox e o Google Chrome. Além disso, o novo Spartan vai suportar extensões (tal como os seus rivais) e também dispôr de uma versão mais "leve", especialmente pensada para dispositivos móveis. As novidades sobre o Windows 10 serão apresentadas pela empresa de Bill Gates no próximo 21 de Janeiro, e espera-se que o Spartan seja um dos pontos fortes. 


O Internet Explorer foi lançado pela primeira vez em 1995, e integra o sistema operativo Windows desde o Windows 95. No final dos anos 90, o browser era  praticamente o único utilizado em todo o mundo, tal como o sistema operativo Windows monopoliza os computadores pessoais e empresariais por todo o globo. Ao longo da década seguinte, surgiram várias alternativas, sendo que o Firefox e o Chrome foram gradualmente crescendo em termos de quota de mercado. Muitos utilizadores apontaram ao Internet Explorer o facto de ser mais lento e inseguro que os seus dois principais concorrentes. Contudo, o browser continua a ser o terceiro mais utilizado. Para muitos utilizadores por todo o mundo, menos conhecedores dos meandros da tecnologiam a bola azul continua a ser a única forma de aceder à internet, uma vez que não têm conhecimento que existam alternativas. Os problemas de marketing do Internet Explorer serão um dos motivos que levam o gigante de Redmond a adoptar uma nova marca para o seu navegador.
#Inovação