O asteróide 2004 BL86, com um tamanho estimado de 500 metros, irá passar perto da Terra, a cerca do triplo da distância que vai da Terra à Lua, a 26 de Janeiro de 2015. Será o mais próximo que chegará uma rocha espacial desta envergadura, até à prevista aproximação à terra do asteróide 1999 AN10, em 2027. No seu ponto mais próximo, a 26 de Janeiro, o asteróide estará a 1,2 milhões de Km da Terra. "Segunda-feira, 26 de Janeiro será o ponto mais próximo da Terra que o asteróide 2004 BL86 vai atingir nos próximos 200 anos", disse Don Yeomans, gestor do "Near-Earth Object Program Office" da NASA, no Jet Propulsion Laboratory em Pasadena, Califórnia.

Publicidade
Publicidade

"E se bem que não apresenta qualquer perigo para a Terra dentro de um futuro previsível, é uma passagem relativamente próxima, de um asteróide relativamente grande, o que nos dá uma oportunidade única de observar e aprender mais."

Uma das maneiras de aprender mais sobre o 2004 BL86 é através das micro-ondas. Duas antenas, uma na Califórnia e outra em Porto Rico, irão tentar obter o máximo de dados e imagens geradas por radar, durante os dias de maior aproximação do asteróide. "Quando obtivermos os dados do radar no dia seguinte à passagem, teremos as primeiras imagens detalhadas," disse o astrónomo e principal investigador da JPL, Lance Banner. "Presentemente, não sabemos quase nada sobre este asteróide, por isso é provável que haja surpresas."

O asteróide 2004 BL86, descoberto em 2004 (daí o seu nome), será visível a astrónomos amadores com pequenos telescópios e binóculos potentes.

Publicidade

"Sou capaz de pegar nos meus binóculos favoritos e fazer uma tentativa, também" disse Yeomans. "Os asteróides são algo de especial. Não só forneceram a Terra com a matéria de construção da vida e grande parte da sua água, como também, no futuro, fornecerão valiosos recursos de minérios e outros recursos naturais vitais. Serão também paragens de abastecimento de energia nas viagens da humanidade, enquanto continuamos a explorar o sistema solar. Algo acerca dos asteróides faz-me olhar para cima."

A NASA detecta, rastreia e caracteriza asteróides e cometas através de telescópios baseados na Terra e no espaço. Elementos da equipa Near-Earth Object Program, muitas vezes referida como a "Guarda do Espaço", descobrem e caracterizam estes objectos, identificando as aproximações e determinando se algum deles apresenta algum perigo potencial para a Terra. #Natureza