A Microsoft apresentou o projecto HoloLens, uns óculos que permitem ao utilizador ver imagens em 3D projectadas à sua frente. O dispositivo até pode parecer ficção científica, mas as suas aplicações são bem reais. A Agência Espacial Norte-America (NASA) já informou que vai utilizar esta nova tecnologia para ajudar os cientistas que trabalham virtualmente em Marte. Aliás, o software utilizado foi desenvolvido em conjunto pelas duas entidades, incluindo uma equipa no Laboratório de Propulsão a Jacto (LPJ) da NASA em Pasadena, na Califórnia.

"Vai dar aos nossos cientistas a possibilidade de circular e explorar Marte a partir dos seus escritórios", disse Dave Lavery, do Laboratório de Ciências de Marte da NASA.

Publicidade
Publicidade

"Fundamentalmente, muda a nossa percepção de Marte, e como entendemos o ambiente que rodeia a Curiosity", acrescentou.

O projecto HoloLens foi ontem apresentado, juntamente com o Windows 10. Os óculos podem projectar todo o tipo de imagens no campo de visão do utilizador, dando a ideia que pessoas, objectos ou mesmo planetas estão mesmo à sua frente. A firma não revelou como é que o dispositivo funciona, mas tudo indica que utiliza um sistema de projecção para transmitir as imagens holográficas para os olhos dos usuários, levando o cérebro a pensar que são reais.

O software OnSight vai utilizar dados recolhidos pela sonda Curiosity para criar uma simulação em 3D do ambiente marciano, o que será útil para missões futuras. Os cientistas poderão analisar o local de trabalho do robô numa perspectiva diferente, planear novas actividades e ter uma visão do seu trabalho em primeira mão.

Publicidade

Jeff Norris, gestor do projecto OnSight no LPJ, explicou: "Acreditamos que o OnSight vai melhorar a forma como exploramos Marte e como partilhamos essa viagem exploratória com o mundo".

Até agora, os cientistas têm analisado as fotografias de Marte num ecrã de computador. Agora, vão ter hologramas que lhes darão uma visão híbrida, entre o real e o virtual, do planeta vermelho. "Até aqui, os nossos exploradores de Marte têm estado presos do lado de cá do ecrã. Esta ferramenta dá-lhes a capacidade de explorar o ambiente que rodeia o robô, tal como um geólogo faria no nosso planeta", ilustrou Norris. O LPJ vai começar a testar o software OnSight na missão Curiosity ainda este ano e pode incluí-lo na próxima sonda a enviar para Marte, em 2020.

Na apresentação do HoloLens, o CEO Satya Nadella descreveu o sistema como "mágico", mas não revelou os seus custos. "O Windows 10 e a computação holográfica são duas experiências fascinantes", disse. A Microsoft espera que empresas que já utilizam a realidade aumentada e virtual, como a Oculus VT, o Magic Leap ou a Google Glass, venham a utilizar a programação holográfica da Microsoft nos seus dispositivos.

Publicidade

Alex Kipman, da Microsoft, declarou: "Queríamos fazer a tecnologia desaparecer, torná-la mais humana e fácil de controlar. E se pudéssemos pegar na tecnologia e trazê-la para o nosso mundo? Hoje, damos o próximo passo. Não estamos a falar de colocar-vos em mundos virtuais, estamos a sonhar para além disso. Estamos a sonhar com hologramas misturados com o vosso mundo - bem-vindos ao Windows Holográfico. Sei que isto soa um pouco louco e impossível, mas inventámos o mais avançado computador holográfico que o mundo alguma vez viu: o HoloLens". Os óculos são ainda um protótipo em desenvolvimento e a Microsoft não revelou quando estarão à venda.