Recorrer ao rigor dos números e da estatística para perceber se vale a pena continuar uma relação. É esta a função do Nanaya, uma ferramenta online desenvolvida por um engenheiro de sistemas da NASA. Na base do programa está o uso de algoritmos que avaliam os custos e os benefícios da situação amorosa do casal, tendo em conta variáveis como a personalidade de ambas as pessoas e aspectos demográficos. Os mais curiosos já podem fazer a experiência no website do programa.

Não se trata de uma mera página para ter encontros virtuais. De acordo com Rashied Amini, o trabalhador NASA responsável pelo projecto, o objectivo de Nanaya é apenas o de ajudar as pessoas a tomarem as melhores decisões possíveis relativamente ao seu futuro romântico.

Publicidade
Publicidade

Em declarações ao El País, o engenheiro de sistemas assegura que o princípio aplicado no website é precisamente o mesmo que é utilizado nas missões espaciais. "O que fazemos [na NASA] é olhar para todas as variáveis e escolher a opção com mais probabilidades de êxito", refere, numa alusão ao papel que os algoritmos possuem em ambas as situações. Embora tenha sido testada num número reduzido de pessoas, Amini atribui à aplicação uma eficácia de 95%.

Assim que uma pessoa acede ao Nanaya, deve preencher um questionário com dados alusivos à idade, à orientação sexual ou à religião, antes de avançar para uma espécie de teste de personalidade mais complexo com respostas de "sim" e "não". Posto isto, os utilizadores devem responder a um outro questionário que variará consoante estes se encontrem numa relação ou não.

Publicidade

Neste último caso, a pessoa pode - através de uma série de perguntas e respostas - descobrir o tipo de personalidade que poderá ser mais indicado para si, em termos de ligação romântica. Já quem se encontrar numa relação poderá pedir ao seu par que preencha também o questionário, a fim de se aferirem as possibilidades estatísticas da relação.

À medida que os utilizadores avançarem no questionário, surgirão perguntas mais íntimas que avaliam aspectos como o desejo de ter filhos ou a vontade de casar. Ainda em declarações ao El País, Rashied Amini assegurou que este é o tipo de perguntas que normalmente "ninguém faz" no início de uma relação, mas que possui uma grande importância para o desenrolar da mesma. Nesse sentido, o engenheiro de sistemas compara o Nanya a "um espelho" que promove um momento de auto-avaliação aos utilizadores. Mas o autor acredita que os dados estatísticos que o website venha a acumular relativamente à personalidade dos indivíduos poderão ter ainda outras utilidades: nomeadamente como material para novos estudos que cruzem, por exemplo, os tipos de personalidades mais frequentes numa dada profissão. #Curiosidades