Investigadores ligados à área do design industrial do Politécnico do Cávado e Ave, em Barcelos, criaram peças de roupa que combinam detecção de quedas com proteção física. Tendo em conta que as quedas foram uma das principais causas de morte dos idosos no ano passado, esta equipa de investigadores tentou arranjar uma solução para o problema e criou um sistema "vestível", composto por uma camisola e umas calças. Um dos responsáveis pelo projeto explica que são colocadas proteções especiais (em locais estratégicos) nestas roupa, para minimizar o impacto quando houver uma queda, seguindo um princípio biomimético, ou seja, estas proteções copiam a estrutura do próprio osso.

Publicidade
Publicidade

Os investigadores, para além de terem criado uma tecnologia capaz de diminuir o impacto da queda, e consequentemente a gravidade das fraturas, criaram um colete que, aliado a um smartphone, tornará possível enviar alertas para os contatos do telemóvel.

A equipa responsável pelo desenvolvimento deste sistema garante que o processo é muito simples e eficaz: depois de fazer a instalação da aplicação desenvolvida para o efeito, o utilizador colocará o sensor num local apropriado (no bolso da camisola, por exemplo) e ligará a aplicação. Em caso de queda, o smartphone emitirá uma mensagem de aviso para um contacto previamente escolhido. Nesta mensagem constarão informações sobre a localização.

Esta tecnologia custará entre 100 e 350 euros. Num futuro próximo, os investigadores planeiam começar a expansão internacional.

Publicidade

Neste momento, a equipa está à procura de um parceiro que possibilite a colocação dos produtos no mercado. Quando questionado sobre eventuais mercados internacionais em que o sistema poderia ser vendido, um dos membros da equipa refere que os países nórdicos e anglo-saxónicos seriam uma boa aposta, visto estarem habituados a lidar com produtos tecnológicos. Quanto a Portugal, será o principal mercado alvo e a equipa explica que, pelo facto de o país ter muita população envelhecida, esta tecnologia poderá revolucionar o modo de vida dos idosos. #Terceira Idade