Os títulos que se seguem não são propriamente maus. Não têm gráficos duvidosos, a jogabilidade até pode ser viciante e têm uma comunidade aceitável de fãs. Mas então porque constam nesta desonrosa nomeação? Os MMOs que vai ler a seguir simplesmente foram lançados para o mercado com um péssimo timing e sem qualquer preparação prévia.

Isto deu origem a uma má configuração dos servidores e quebras de ligação constantes, a uma autenticação online que bloqueia se os jogadores activarem as suas contas ao mesmo tempo. Também se verificaram departamentos de suporte ao jogador online inexistentes, e claro está, os clássicos bugs ou glitches.

Publicidade
Publicidade

Mas vamos aos títulos propriamente ditos.

Anarchy Online

O lançamento deste MMO estava destinado a correr mal. Foi desenvolvido pela Exhibit A em 2001 e alguns jogadores queixaram-se de que a chave que vinha com o jogo era inválida e não se conseguiam registar. Por outro lado, outros jogadores afirmaram que lhes foram cobradas duas contas em vez de uma. Os servidores de Anarchy Online estavam constantemente a bloquear e algumas áreas do jogo eram simplesmente inacessíveis. No entanto, a Funcom resolveu todos estes problemas e Anarchy Online conseguiu recuperar os seus fãs, sendo hoje um jogo free-to-play.

Sim City

Quem nunca passou horas a construir cidades em Sim City, para depois assistir à sua destruição por parte de invasores alienígenas? Pois bem, o maior descontentamento dos fãs da série da Maxis é recente, depois de lhes ter sido negada a possibilidade de jogarem Sim City 2013 offline, mesmo que apenas em Single Player.

Publicidade

Isto causou um grande descontentamento em toda a comunidade da série, e só depois da EA lançar várias actualizações é que os jogadores conseguiram experimentar o jogo.

World of Warcraft

Calma, fãs de WoW. O jogo World of Warcraft é um fenómeno e prova disso são os milhões de jogadores por todo o mundo. E o problema no lançamento de WoW foi de facto... os próprios jogadores. Em 2004, a Blizzard lançava orgulhosamente a sua obra de arte, mas não contava com a adesão imediata de milhares de jogadores. Resultado? Os servidores não aguentaram e estavam constantemente a crashar. Com isto o jogador tinha que "secar" em longas filas de espera só para conseguir entrar numa simples partida. Desde então, a Blizzard duplicou o seu número de servidores e este problema foi amenizado, sendo hoje em dia WoW um fenómeno à escala global.

Assassin's Creed: Unity

#Jogos que ficam recordados na história como lendas do Single Player. Assassin's Creed podia ter sido um desses jogos, mas não foi.

Publicidade

A Ubisoft decidiu aventurar AC no online e desde logo apareceram problemas: NPC's sem cara, o jogador atravessava o cenário em algumas partes do jogo e o modo de cooperação não funcionava. Isto foi tudo reportado por jogadores vezes sem conta. A Ubisfot tentou resolver a situação oferecendo aos jogadores um jogo à escolha no Unplay, para quem adquirisse um DLC de Unity.

Final Fantasy XIV

Mantenho a afirmação: há jogos que devem ficar como lendas do Single Player. Ponto. Esperava-se que depois das queixas dos jogadores devido à falta de qualidade dos seus jogos mais recentes, que a SquareEnix tomasse um rumo diferente. E tomou, para pior. Nem é pela qualidade de FFXIV, que está fantástico em termos de grafismo e jogabilidade. É simplesmente porque a SquareEnix precipitou-se no seu lançamento. Bloqueios e lag constantes, quebras nos servidores e péssima interface. No entanto, já foram lançados alguns patches de correcção para o jogo.