O "Adblock" é um programa que tem como função bloquear anúncios, spam e publicidade indesejável dos sites que visitamos na internet. Com cada vez mais reconhecimento e usado activamente por mais de 50 milhões de pessoas, o seu poder cresce exponencialmente e já é o maior e mais eficaz aplicativo para este efeito em todo o mundo. Ora, se 50 milhões de pessoas visitam os sites e não vêem nenhum tipo de publicidade, quem sai a perder são as grandes empresas mundiais, que têm como base do seu negócio a internet e a propaganda, perdendo desta forma a oportunidade de gerar milhões de euros anualmente.

A Google, Microsoft, Amazon e YouTube são actualmente os sites mais prejudicados pelo programa Adblock Plus e consideram a aplicação uma ameaça real para as suas receitas.

Publicidade
Publicidade

Para combater esse mal, estas grandes empresas têm tentado contornar esses bloqueios e proibições, tentando criar "outro tipos de anúncios", de forma a conseguirem entrar na "whitelist" do programa, que permite que anúncios pequenos e aceitáveis sejam visíveis pelos seus utilizadores. Contudo, estas manobras continuam a ser insuficientes para as receitas estipuladas e previstas pelas empresas se o Adblock não operasse e bloqueasse os seus anúncios.

Por isso mesmo, foi noticiado recentemente, pelo prestigiado jornal Financial Times, que Google e Microsoft estão alegadamente a tentar chegar a acordo com os responsáveis do programa, para que estes "fechem os olhos" e se tornem menos "exigentes" com o bloqueio da publicidade existentes nos seus sites. Se existir de facto esse desbloqueamento, consta que 30% dos ganhos adicionais obtidos por essas empresas serão pagos ao Adblock, o que representaria receitas nos seus cofres de mil milhões de dólares, anualmente.

Publicidade

O programa Adblock é o aplicativo mais usado no planeta para o combate e bloqueio de spam e publicidade na internet. Estima-se que o aplicativo Plus tenha sido descarregado mais de 300 milhões de vezes. Eficaz e rápido, o Adblock é totalmente gratuito e garante que todos os banners e pop-ups sejam totalmente restringidos. Pelo menos até agora, pois se for oficializada a proposta bilionária entre gigantes da Internet, o programa poderá perder credibilidade e utilizadores.