A famosa aplicação de táxis Uber vai lançar muito brevemente duas novas funcionalidades para os seus utilizadores indianos. A empresa de táxis sedeada em São Francisco refere que uma das novidades será um "botão de pânico" digital que permitirá notificar a polícia local em caso de emergência. Simultaneamente, será lançada uma "rede de segurança" que permitirá que os passageiros compartilhem os detalhes da sua viagem e localização com cinco pessoas.

Embora tenha sido proposto inicialmente à empresa utilizar um botão de emergência físico, a Uber considerou que a ideia não seria viável, uma vez que estes teriam de ser colocados em todos os carros e ficariam vulneráveis ao desgaste.

Publicidade
Publicidade

A empresa referiu ainda que também está a desenvolver uma equipa local que irá responder aos relatórios e que receberá uma notificação quando o botão de emergência for accionado. A companhia afirma que pretende melhorar os seus programas de segurança ao longo do ano de 2015.

Estas novas funcionalidades surgem em resposta às preocupações relacionadas com a segurança, algum tempo após uma passageira indiana ter feito queixa de que teria sido violada por um motorista em Nova Deli. A utilizadora processou a empresa em Janeiro, com o processo a alegar que a Uber não tem uma política que permita garantir a segurança dos seus passageiros. Após o incidente, a empresa também estabeleceu uma parceria com a First Advantage - uma empresa que verifica antecedentes - de modo a fazer uma triagem aprofundada de todos os motoristas indianos.

Publicidade

O novo processo de selecção vai incluir a verificação de morada e a análise do registo criminal.

Apesar de a Uber não ter especificado se estas funcionalidades estarão disponíveis noutros países, acredita-se que também serão lançadas a nível mundial. Recorde-se que os serviços desta empresa estão actualmente suspensos em três cidades da Índia: Nova Deli, Hyderabad e Karnataka. Prevê-se que os novos recursos estejam disponíveis a partir da próxima quarta-feira, dia 11 de Fevereiro.