A Microsoft anunciou esta quarta-feira, dia 18, o encerramento e descontinuação oficial do seu browser (Internet Explorer), criado há duas décadas (1995). Justificam o seu final com o facto de não ter tido capacidade de acompanhar motores de busca concorrentes nem a nova era de smartphones e tablets. No entanto, já está em desenvolvimento um novo sucessor que promete voltar a ser o número 1 na principal maneira de aceder à Internet.

Chris Capossela, responsável de marketing da Microsoft, adiantou esta terça-feira, em conferência, que o futuro browser irá surgir no windows 10. O Internet Explorer, por enquanto, continuará a funcionar apenas para versões profissionais do Windows para evitar falhas de compatibilidade. O novo projecto, que já está em desenvolvimento, por enquanto chama-se Project Spartan, mas o responsável de Marketing garante que não será este o seu nome final. Chris Capossela adianta que a designação final do novo browser, provavelmente terá a palavra Microsoft incluída, pelo que será benéfica a associação directa do produto à marca. Também não tem ainda identidade pelo que estão a ser feitos estudos de mercado para um logótipo que possa sobressair e ser suficientemente apelativo. Em relação às características do novo software, a Microsoft não adiantou mais pormenores, mas declara que o seu uso será positivo para os utilizadores, tanto a nível profissional, como na utilização doméstica

O Internet Explorer foi o browser da Microsoft e chegou a ser utilizado por mais de 90% da Internet. No entanto, com o tempo foi-se perdendo para browsers da concorrência tais como o Google Chrome, Mozilla ou para o Safari da Apple. A chegada dos novos equipamentos móveis, tablets e smartphones, tornaram os utilizadores mais exigentes, levando o Internet Explorer a um contínuo caminho de declínio. Após várias tentativas falhadas de recuperação do browser da Microsoft (inclusivamente associação com outros produtos e publicidade), o rumo para o fim foi impossível de reverter culminando na sua descontinuação.