Há cinco anos que a start-up portuguesa Biomode está a trabalhar em testes de detecção de microrganismos patogénicos, e agora os primeiros kits vão finalmente chegar ao mercado, incluindo um para Salmonella. A empresa acaba de conseguir um investimento de 1,6 milhões de euros para certificar e comercializar os seus kits de diagnóstico rápido para a comida. A inovação da empresa de Guimarães, que em Dezembro de 2010 recebeu 300 mil euros de capital-semente, é basear os testes na tecnologia PNA-FISH (acrónimo de Peptide nucleic acid fluorescent in situ hybridization), ou hibridação fluorescente in situ. A equipa é, aliás, uma das poucas no mundo que tem capacidade de desenhar testes desta natureza direccionados a patogénicos específicos.

Publicidade
Publicidade

Isto permite um diagnóstico muito mais rápido e testes mais baratos que os que existem no mercado. A PNA-FISH é usada em vários campos, por exemplo na contaminação de amostras sanguíneas ou confirmação de doenças infecciosas, e será agora usada pela empresa de biotecnologia no sector alimentar. "Neste momento, a Biomode já completou o desenvolvimento de três kits, que permitem a detecção de Salmonella, Listeria monocytogenes e E. Coli", explica a empresa. Estes são os três principais microrganismos que a indústria alimentar testa, pelo que é aí que se situa a maior procura. 

Os três investigadores responsáveis pela Biomode, Carina Almeida, Laura Cerqueira e Nuno Azevedo, vão agora usar a nova injecção de capital para acelerar a entrada dos kits no mercado. Os 1,6 milhões de euros foram investidos por um consórcio nacional composto pela 2bpartner, Change Partners, Gegnum e Invicta Angels, além de um dos promotores do projecto.

Publicidade

O caminho da Biomode começou nas universidades do Minho e do Porto, onde a investigação teve início, e passou durante dois anos pelo Acelerador de Comercialização de Tecnologias da COTEC Portugal - Associação Empresarial para a Inovação. Nessa altura, a investigação foi sustentada pelos fundos de capital de risco Portugal Ventures ACTec e ACTec II. Em 2011, a Biomode passou para o Spin Park, um parque de ciência e tecnologia situado em Guimarães.