Foi um completo sucesso o terceiro teste feito, a partir de um pequeno aeroporto na cidade de Abu Dhabi, capital dos Emiratos Árabes Unidos, por uma aeronave de design e características incomuns. O Solar Impulse 2 é um aparelho desenvolvido para trabalhar com energia solar, e conquanto o conceito em si não seja exatamente novo, o que a equipa suíça por detrás do projeto pretende atingir certamente que será histórico. O programa foi fundado pelo psiquiatra Betrand Piccard e pelo empresário André Borschberg, em 2003, e a primeira aeronave, designada de Solar Impulse, voou em 2009.

Após uma série de testes bem-sucedidos, este aparelho efetuou um voo de 26 horas através do Estados Unidos da América, não apenas demonstrando que uma aeronave movida apenas a energia solar tinha uma impressionante persistência em voo, como também que as baterias de lítio internas conseguiam fornecer a energia necessária quando o Sol não estava disponível.

Publicidade
Publicidade

Após o sucesso do Solar Impulse, a equipa resolveu avançar para a construção de uma aeronave maior e mais capaz, designada, pois, de Solar Impulse 2. Equipado com quatro motores elétricos em vez de dois, este novo aparelho irá efetuar uma viagem em redor do globo, percorrendo cerca de 35.000 quilómetros até ao seu regresso a Abu Dhabi, em Julho. Esta viagem deverá começar no próximo Sábado, apesar de se ter feito notar que essa data estará dependente das condições climatéricas.

Após a descolagem, o Solar Impulse 2 deslocar-se-á para Leste, sobre o Oceano Índico, para o Myanmar, e então para a China, sobrevoando depois a vastidão do Oceano Pacífico, com escala esperada para o Havai e, seguidamente, nos Estados Unidos. Após a fase do Atlântico, haverá mais uma escala na Europa ou no Norte de África, dependendo das condições climatéricas, após a qual se dará o troço final de volta ao Emiratos Árabes Unidos.

Publicidade

No total esperam-se 5 escalas, mas, como em tudo o resto, o número total das mesmas dependerá do clima e das condições da tripulação e da aeronave.

Apesar da novidade da tecnologia e da pequena tripulação, de apenas dois homens (Borschberg e Piccard, tendo este último participado na primeira viagem de circum-navegação sem escalas em balão), não se pense que o Solar Impulse 2 é pequeno. Medindo 72 metros de envergadura - é maior do que o famoso Boeing 747 - as suas amplas asas estão cobertas com 17.000 células fotovoltaicas. Apesar das dimensões, o avião é incrivelmente leve, pesando apenas 2.300 quilos, e certamente que não é um aparelho de grandes performances, atingindo uma velocidade máxima de 100km/h. Por esse motivo, uma equipa de 65 climatologistas apoiará a tripulação, e uma outra, de tamanho similar, preparará os locais de aterragem das diferentes escalas.

No entanto, o que se espera conseguir com esta aeronave é demonstrar que se podem conseguir feitos extraordinários com energias renováveis, talvez mesmo criar as condições para que um dia se possa abandonar a dependência dos combustíveis fósseis.