O site KickassTorrents, página que disponibiliza torrents, mudou duas vezes de endereço num espaço de 24 horas. Depois de se ter registado na Ilha de Man, que fica no mar da Irlanda, com o endereço Kickass.im, vários grupos anti-pirataria puseram-se em movimento para tentar encerrar o site. Os administradores do site de torrents não contaram com a lei contra a violação de direitos de autor que vigora na ilha de Mann, que tem tolerância zero contra a pirataria.

Algumas horas após a mudança para o domínio .im, o site deixou de estar acessível aos internautas, fazendo com que o site tivesse que arranjar um novo domínio.

Publicidade
Publicidade

O que acabou por acontecer horas mais tarde, com a mudança para a Costa Rica e para o domínio .cr.

Um dos administradores do site confirmou que o domínio será KAT.cr. Além da revogação na Ilha de Mann, também deverá recair sobre o site uma acção judicial. Nem todos os países são tão rápidos a revogar domínios. Na Suécia e Islândia, por exemplo, é necessário uma ordem judicial para pedir a revogação de um domínio. Esta questão dos direitos de autor na internet está longe de ser pacífica, estando de um lado os defensores da livre partilha de ficheiros online e do outro lado os defensores dos direitos de autor.

A partilha de ficheiros é muito difícil de ser controlada pelas autoridades, e também as leis tendem a ser muito abstractas, sendo difícil perceber qual a posição oficial dessas mesmas autoridades.

Publicidade

Queixas há de parte a parte. Ouvimos os autores queixarem-se que não estão a ser remunerados pelo seu trabalho, e quem usa os sites de partilha de ficheiros a dizer que a sua liberdade está a ser posta em causa.

Ainda há umas semanas o Presidente da República vetou a lei da cópia privada, lei que previa a compensação dos autores por cada cópia para uso privado feita por cada utilizador, por exemplo de uma música ou um filme. A justificação para o veto presidencial foi que "é necessária uma reponderação dos diversos interesses em presença, para se adoptar uma legislação mais sintonizada com a evolução tecnológica e uma adequada protecção de consumidores e autores". #Entretenimento