Há quem consiga matar até um cacto por não saber bem quantas vezes deve regar e como deve expor as plantas ao sol. É para esses utilizadores que existe uma nova aplicação portuguesa, Flower Power, que ensina a cuidar das plantas e flores a partir do smartphone.

"Fizemos uma aplicação muito simples, com um interface bonito, em que dá para adicionar uma planta em três cliques", explica à Blasting News Pedro Santos, um dos executivos da empresa Fishartis, que criou a aplicação. A Flower Power tem por trás uma base de dados com informação recolhida de várias fontes sobre as mais variadas plantas e flores. "A pessoa adiciona a planta e tem um sistema de alertas que surgem quando está em casa, perto da planta", continua Pedro Santos.

Publicidade
Publicidade

"Ao contrário de outras apps que exigem a compra de gadgets, nós decidimos não pedir isso e ter um sistema simples que permite uma audiência mais vasta."

Como funciona? O utilizador abre a aplicação e acede a uma lista de plantas com nomes e fotografias em alta definição, para que possa ter a certeza de que corresponde à que tem em casa. Dá então nome à planta e põe a data em que comprou, para receber alertas periódicos rigorosos sobre quando deve regar, mudar de vaso e deitar fertilizante.

Disponível para iOS e Android, a aplicação atraiu 4 mil utilizadores activos por mês após o lançamento, ainda sem investimento em publicidade. As primeiras três plantas adicionadas são gratuitas, mas a partir daí paga-se 2,99 euros pela versão Pro, revela Yuliya Pozdniak, a CEO da empresa e mentora deste projecto.

Publicidade

Pozdniak tem nacionalidade bielorussa mas está radicada em Portugal há quinze anos, tendo mesmo vencido o Prémio Empreendedor da Gulbenkian em 2011.

O próximo passo é criar um portal na web onde as pessoas possam trocar ideias, e a partir daí montar uma loja para a venda de produtos relacionados com plantas e também rentabilizar os dados comportamentais de quem usa a aplicação. "Há muito interesse das pessoas em partilharem o que têm", refere Yuliya, sublinhando que o perfil de Instagram da app se tornou um sucesso instantâneo.

"Estamos em inglês, russo e a finalizar português, e planeamos depois focar-nos na China e Japão onde identificámos uma cultura virada para os ornamentos e arranjos com plantas em casa que é uma loucura", acrescenta Yuliya.

Se resultar, este vai tornar-se o maior projecto da Fishartis, que existe há dez anos e tem cerca de 10 colaboradores. Foi uma das oito empresas portuguesas que estiveram em Maio na conferência Collision, em Las Vegas, à procura de investimento para marketing e de mentores. Um sinal de vitalidade da #Inovação portuguesa, sublinhou Yuliya, que expressou a importância de Portugal "se aventurar" para fora de portas. #Natureza #Smartphones