A mais famosa rede social do mundo, o Facebook, conseguiu, segundo as últimas notícias, angariar nove milhões de euros para entregar à ONG International Medical Corps. O objectivo é ajudar o Nepal a recuperar do violento sismo ocorrido este mês. Com uma simples pergunta finalizada com Sim e Não, a rede social de Mark Zuckerberg reuniu, em somente 48 horas, milhões de fundos, que serão em breve encaminhados para as equipas de socorro a trabalhar actualmente no país.

Tanto a ONG International Medical Corps, como Mark Zuckerberg, já agradeceram aos utilizadores do Facebook. Na página, propositadamente criada para este fim, as pessoas podem doar diversas quantias de dinheiro, desde 10 euros até 100, ou consoante a preferência de cada um.

Publicidade
Publicidade

Mas esta não é a única funcionalidade do Facebook para ajudar o Nepal. Uma ferramenta intitulada de Safety Check (em português - Verificação de Segurança) permite apoiar e localizar familiares, amigos e conhecidos das vítimas do sismo. Sabe-se que desde a sua activação (25 de Abril), mais de 100 milhões de pessoas foram notificadas por esta rede social, sendo que pelo menos sete milhões identificaram-se dando a entender que estão vivas.

Segundo o homem nº1 do Facebook, Mark Zuckerberg, é quando acontecem este género de desastres que as pessoas mais necessitam de saber notícias dos seus familiares, sendo imperioso nestes momentos haver conexão.

Número de mortos não pára de aumentar

O sismo que abalou o Nepal fez pelo menos 6.204 mortes, informaram hoje as entidades deste país.

Publicidade

Os feridos rondam os 14 mil, isto dividido nos mais diferentes graus de gravidade. Recorde-se que este terramoto, com uma magnitude de 7,8 na escala de Richter, foi também sentido no Tibete e na Índia, onde provocou igualmente vítimas e estragos. Nos próximos dias espera-se o aumento dos números.

Mais de mil cidadãos europeus continuam desaparecidos

A União Europeia informou ontem, 30 de Abril, a existência de mais de mil europeus desaparecidos no Nepal, na sua maioria turistas. Até ao momento estão confirmadas 12 mortes. #Catástrofes Naturais