Revolucionando o mercado com os dispositivos móveis em vários segmentos como telemóveis, leitores de música portáteis e computadores, a #Apple aponta um crescente interesse pela sua próxima aposta, ao que tudo indica, será o sector automóvel. Numa conferência recentemente realizada na cidade de São Francisco, o actual vice-presidente da marca, Jeff Williams, deixou leves pistas sobre as suas intenções para o futuro. Nesta conferência, um elemento da audiência questionou a intenção da Apple de entrar no mercado automóvel, tendo a pergunta ficado em aberto, pois o administrador deixou uma pergunta no ar: "O carro é o dispositivo móvel por excelência, não é?".

Publicidade
Publicidade

Adiantou ainda que a Apple analisa todo o tipo de categorias de produtos.

Actualmente a Apple encontra-se já a operar no mercado automóvel nas vertente dos sistemas de entretenimento, como é o caso do CarPlay, que deverá ser um extra a implementar em automóveis do grupo General Motors, Ford e Hyundai.

É assim possível concluir que este poderá ser um sinal sobre as ambições para o futuro da gigante tecnológica; algumas fontes referem que a Apple tinha já centenas de operários a trabalhar num projecto automóvel com a nuance de ser eléctrico e de poder dispensar o condutor humano.

O The Wall Street Journal apurou que um antigo engenheiro da Ford Motor, Steve Zadesky, está a liderar este projecto há alguns anos e poderá vir a contratar elementos para a sua equipa.

Publicidade

Em paralelo foi também contratado Johann Junqwirth, antigo presidente do departamento de pesquisa e desenvolvimento da Mercedes-Benz nos EUA.

Actualmente no mercado dos automóveis eléctricos, a Tesla Motors apresenta já uma tecnologia de ponta, sendo que esta será uma das principais empresas concorrentes que a Apple terá na mira.

Contudo, surge a dúvida quanto ao espaço físico para desenvolver um projecto de tal envergadura. Normalmente na indústria automóvel são utilizadas as próprias instalações para produzir e montar os automóveis. No caso da Apple, até à data e em toda a produção de tecnologia têm sido contratados fornecedores e empresas externas à gigante americana, capazes de produzir os componentes e posteriormente montar o produto final. #Negócios