O tradicional "black cab" de Londres será elétrico em 2018. Os táxis passarão a ter baterias carregadas por meio de tomada, em uma versão híbrida estilo plug in. Para auxiliar a autonomia do veículo, um auxílio de um pequeno motor a gasolina ajudará no funcionamento. O grupo chinês Geely (dono da sueca Volvo e, desde 2013, também da London Taxi Company) fará um investimento de 250 milhões de libras, o equivalente a 339 milhões de euros. A produção dos novos tipos de táxi será em uma fábrica a ser construída na cidade de Ansty, na Inglaterra.

O cab híbrido irá se chamar TX5. Será semelhante aos antigos Austin FX4, que deixaram de ser produzidos em 1997.

Publicidade
Publicidade

A silhueta não deve mudar muito. O provável é que mantenha a silhueta dos TX4 atuais, equipados com motor turbodiesel da VM Motori. #Automobilismo #Inovação

A autonomia dos carros elétricos produzidos atualmente impressiona. São capazes de rodar até 600 quilómetros a cada recarga, sendo apenas dependentes de um pequeno motor 1.0 de gasolina, que serve como gerador. O motor extra consome em torno de 40 quilómetros por litro.


A criação do carro elétrico combina com Londres, umas cidades que mais ter se esforçado para dar apoio á criação deste tipo de veículo. O objetivo é reduzir as emissões de gases poluentes e proteger o meio ambiente. Outro modelo de taxi híbrido já pode ser notado na capital. Desde o início do ano os Metrocab circulam pela cidade.


Ironicamente, os veículos com baixas emissões de gases poluentes começaram a rodar em Londres no fim do século XIX, mais especificamente em 1897. Com uma velocidade máxima de apenas 15 quilómetros por hora, as carruagens elétricas Bersey faziam os seus passeios em silêncio, sem emissão de fumos ou vapor, 75 táxis anunciavam o estilo de veículo que voltaria a ser devidamente considerado mais de um século depois.


Os veículos vanguardistas não duraram muito. Em 1899 já não eram encontrados em Londres. A autonomia reduzida (somente 50 quilómetros por carga) levou à extinção dos curiosos táxis. Quatro anos depois, chegariam às ruas da Inglaterra os primeiros cab movidos por gasolina.