Satoru Iwata, presidente da Nintendo, faleceu no sábado, dia 11 de julho, aos 55 anos de idade. A notícia foi avançada pela própria companhia nipónica de videojogos. Em comunicado, a Nintendo revelou que o seu diretor executivo sofria de cancro no ducto biliar, situação com a qual já lidava há vários meses. Iwata já havia inclusive faltado a encontros com investidores e a eventos de grande importância no panorama da indústria, nomeadamente as duas últimas edições da Electronic Entertainment Expo (E3).

Desde a década de 1980 na Nintendo, onde começou a trabalhar como programador, Iwata presidia a companhia desde 2002 e desempenhava as funções de diretor executivo há sensivelmente dois anos. Era somente o quarto a fazê-lo em todos os anos de existência da gigante japonesa. Para a história ficará para sempre o trabalho levado a cabo na promoção da Nintendo GameCube, lançada em 2001, e o papel fulcral no desenvolvimento das tecnologias que permitiram o enorme sucesso da Nintendo DS (e todos os seus posteriores modelos) e da Nintendo Wii. Esta última foi, de resto, a consola da Nintendo com os melhores resultados de vendas em todo o globo.

Muito acarinhado pelos fãs da companhia, não só pelo trabalho desenvolvido em prol da mesma, mas também pela forma como aparecia em público, sempre muito descontraída, Iwata era um dos nomes mais bem vistos da atualidade recente da indústria dos videojogos. De tal maneira que, após o anúncio oficial da sua morte, foram já vários os nomes de peso a lamentarem o sucedido, casos de Shuhei Yoshida, presidente da Sony Worldwide Studios, Phil Spencer, líder da divisão Xbox da Microsoft, ou mesmo Peter Moore, responsável da Electronic Arts, entre muitos outros.

Depois desta notícia, a forma como a Nintendo irá reorganizar a sua estrutura diretiva é uma incógnita. Para já, e de forma temporária, Genyo Takeda e Shigeru Miyamoto, o criador de importantes séries de videojogos como Mario, Donkey Kong ou The Legend of Zelda, ficarão responsáveis pela companhia. #Entretenimento #Jogos