A astrónoma e cosmóloga Beatrice Tinsley é a homenageada desta quarta-feira da Google através do seu muito famoso Doodle. Para assinalar o dia em que a neozelandesa cumpriria 75 anos de vida, a gigante tecnológica criou uma imagem onde Beatrice aparece com um telescópio a olhar para os astros, convidando os utilizadores do motor de busca a descobrirem mais sobre quem foi esta figura da ciência.

Quem foi Beatrice Tinsley?

Beatrice Muriel Hill Tinsley, filha de um clérigo, nasceu a 27 de Janeiro de 1941, em Chester, na Inglaterra. Haveria de mudar para a nacionalidade neozelandesa na altura da II Guerra Mundial quando a sua família decidiu embarcar para a Nova Zelândia, fugindo do conflito.

Publicidade
Publicidade

No seu país de acolhimento, viveu em Christchurch e em New Plymouth.

Foi na ciência que encontrou uma das suas grandes paixões e foi na universidade que conheceu o estudante universitário com quem viria a casar, Brian Tinsley. Em 1963 e já casados, os dois rumaram aos Estados Unidos e foram morar para a cidade de Dallas, no Texas. Beatrice Tinsley conseguiu desenvolver em paralelo com a vida familiar a sua carreira académica e em 1974 tornou-se professora assistente na Universidade de Yale.

Apesar de olhada com desprezo pelos colegas, simplesmente por ser mulher, Beatrice Tinsley deixou a sua marca na forma como olhamos para o Universo. Ao longo dos seus estudos fez importantes descobertas na observação de galáxias e no processo evolutivo das estrelas.

Beatrice não se limitou à observação de astros e associou a astronomia à cosmologia para encontrar uma explicação do Universo.

Publicidade

Os seus estudos aprofundados incidiram sobre o facto de o universo ser aberto ou fechado. Esta definição é explicada pela massa total que existe no Cosmos. Segundo a cosmologia, se estiver acima de uma determinada densidade, o que acontece é que a gravidade vai forçar o tecido do espaço-tempo a curvar-se, originando o Universo fechado. Se pelo contrário a densidade estiver abaixo, quer dizer que o Universo é aberto, ou seja plano. Actualmente acredita-se que o Universo seja plano.

A Universidade de Yale contou com a sua colaboração até à sua morte. Infelizmente, Beatrice Tinsley morreu aos 40 anos vítima de um cancro, mas ainda assim fez questão de publicar trabalhos e deixar amostras das suas descobertas para posteridade poucos dias antes de falecer.

A Google deixa a sua singela homenagem a esta mulher com uma imagem que representa Beatrice Tinsley a observar o Universo através de um telescópio. #Google