Há menos de três anos em Portugal, a marca francesa Wiko ultrapassou gigantes como a Apple e a LG e é neste momento a segunda marca mais vendida no mercado nacional. Entre os vários modelos que está a apresentar em Barcelona, onde decorre o Mobile World Congress (MWC), está uma nova família de #Smartphones de gama média com sensores de impressões digitais, os "U". Vão chegar a Portugal em maio com preços entre os 179 e os 199 euros. Com eles, vem também a ambição de cimentar a marca entre os consumidores, numa altura em que assinala apenas cinco anos de existência. 

Mais: o presidente da Wiko, Laurent Dahan, disse na conferência de imprensa em Barcelona que a intenção da marca é chegar ao quinto lugar do mercado mundial de fabricantes em 2020, ultrapassando a chinesa Xiaomi. Todos os novos modelos correm Android 6.0 (Marshmallow) e incluem opções de configuração nas capas folio.

Publicidade
Publicidade

Sensor de impressões digitais

A Wiko define a nova família "U" como uma linha "potente e urbana", em que o destaque vai para o leitor de impressões digitais que faz mais que desbloquear o telemóvel. Como o sensor deteta os cinco dedos da mão, o utilizador pode associar a cada impressão digital uma ação diferente – por exemplo, dar acesso a uma pasta com conteúdos que só o dono do telefone consegue ver.

Estes nem são os topos de gama da Wiko, são a gama média, "que chegará ao mercado com preços altamente competitivos e para todos os bolsos." Estão confirmados o U Feel e o U Feel Lite, sendo que o primeiro vem com processador quad-core, 16 gigas de memória interna e 3 gigas de RAM, dual SIM e câmaras de 13 MP e 5MP, ambas com flash, e ecrã de 5 polegadas. O preço será de 199 euros. 

No caso do U Feel Lite, o processador é quad-core, o ecrã tem 5 polegadas, as câmaras são de 8MP e 5MP, o armazenamento é de 16 gigas e a memória RAM 2 gigas.

Publicidade

Estará disponível em várias cores por 179 euros. 

Mais modelos low cost

A segunda nova gama é a "Y", com preços super low cost e design com cores algo berrantes. Dentro dentro desta linha aparece o Tommy, um smartphone com processador quad-core, 8 gigas de memória interna expansível com cartão 1 giga de RAM. O outro é o Lenny 3, que não difere muito do Tommy no hardware, mas é mais barato – 99 euros pelo Lenny 3 e 129 euros pelo Tommy. Ambos chegam em maio.

Uma edição especial 

A surpresa do evento foi a edição especial do modelo Fever, que vem com acabamentos em madeira, metal e tecido. Dual SIM, o topo de gama vem com processador octa-core, 32 gigas de armazenamento e 3 gigas de RAM, bateria mai duradoura e ecrã de 5,2 polegadas. O preço será de 249 euros, disponível em abril. 

A Wiko investiu bastante nesta presença em Barcelona, com um espaço de 402 metros quadrados e seis pisos. Algumas áreas do stand duplicaram em relação ao ano passado, e isso deve-se ao crescimento exponencial que teve em 2015 – está agora em 30 países, com mais dez previstos este ano, e vendeu oito milhões de smartphones.

Publicidade

A sua popularidade em Portugal deve-se aos preços razoáveis e ao facto de quase todos os smartphones serem dual SIM. Por ser uma marca europeia, também tem marketing, estrutura de distribuição e suporte adequados ao mercado. 

O Mobile World Congress, que se transformou no evento mais importante das tecnologias móveis a nível mundial, decorre até quinta-feira na capital da Catalunha.  #Android #Google