Ao contrário do que tem sido difundido nas #Redes Sociais e nos media, o famoso feed do Instagram não vai mudar já nos próximos dias. A conta oficial da rede social no Twitter anunciou, esta segunda-feira, que estão a "ouvir os utilizadores", garantindo que "nada vai mudar para já". Assim, em 140 caracteres, a plataforma de fotografias descansou os 400 milhões de users que usam, mensalmente, a aplicação. Espera-se que a mudança ainda possa acontecer, mas não de uma forma alargada ainda este mês, tal como tem sido divulgado. 

A informação sobre a alteração do feed aconteceu no passado dia 15 de março.

Publicidade
Publicidade

Nessa altura, o Instagram revelou, em comunicado, que as publicações iriam deixar de estar ordenadas por ordem cronológica. Desta forma, a página principal apresentaria as publicações que, supostamente, têm mais impacto para cada utilizador. Esta não é, porém, uma inovação nas redes sociais. Em 2009, por exemplo, o #Facebook (que detém o Instagram) introduziu esta funcionalidade no seu feed de notícias (o chamado algoritmo). No comunicado divulgado, a empresa revelava que os usuários apenas veem 30% do que é postado pelos amigos. Assim, com esta nova forma de apresentar as publicações, a rede social pretenderia "melhorar a experiência" ao mostrar os momentos que "importam mais". Ainda assim, e para tranquilizar todos os users, a empresa afirmou que “todas as publicações vão continuar lá, apenas numa ordem diferente”.

Publicidade

Porém a mudança não foi do agrado dos internautas. Nos últimos dias multiplicaram-se publicações, tweets e até mesmo petições contra a decisão da empresa. Como tudo fazia crer que o Instagram não ia voltar atrás nesta nova forma de apresentar as fotografias e vídeos, a maior parte dos utilizadores reservaram esta segunda-feira, 28 de março, para apelar à "ativação das notificações". Desta forma, todas as pessoas que ativem as notificações de um amigo, marca ou celebridade vão começar a receber um aviso sempre que essa pessoa (ou marca) publicar uma nova fotografia. Recorde-se que esta opção já está disponível há algum tempo, tendo sido apenas uma forma das pessoas tentarem contornar a nova atualização da app.