Entre os dias 6 e 9 de novembro de 2017, o Web Summit provou ser mais uma vez um grande sucesso não só entre os que tiveram a possibilidade de estarem fisicamente no evento, como também para aqueles que seguiram muitas das conferências através do Facebook Live. Tal como se sucedeu em 2016, o #Web Summit esgotou novamente e é expectável que esgote nos próximos três anos, até 2020 teremos o maior evento de tecnologia do mundo em Lisboa.

Os números do Web Summit 2017

Em 2016, foram mais de 53 mil visitantes oriundos de 166 países. Este ano, o número de visitantes ficou perto dos 60 mil oriundos de 170 países. O género feminino aumentou significativamente a sua presença no Web Summit, quase metade dos visitantes erão mulheres e o número de oradoras foi de 35%.

Publicidade
Publicidade

Os jornalistas marcaram presença também em grande número com 2.600 meios de comunicação de todo o mundo.

O palco central do Web Summit é feito de 314 tanques de água, 140 mil luzes de projeção e 30000 watts de som, tem a capacidade para aguentar 3 toneladas de carros. Outros números que impressionam são sem dúvida as 2.2 milhões de sessões de wifi acumuladas durante a duração do evento e os 45 terabytes de tráfego gerado. Espera-se que todos estes números apresentados possam aumentar em 2018.

Os temas que marcaram o Web Summit 2017

Sem dúvida que um dos grandes temas (senão “o grande tema”) foi a questão da #inteligência artificial. No dia de abertura do Web Summit, Stephen Hawking deixou um alerta, a inteligência artificial deve funcionar a favor do ser humano e não em sua substituição e que deve ser um elemento fundamental para corrigir o mal que foi feito ao planeta ao longo destas últimas décadas.

Publicidade

Aliás, muitos dos temas envoltos neste Web Summit andaram à volta da eterna questão da tecnologia e se esta fará bem a todos os seres humanos ou só a alguns, como serão as profissões do futuro quando falamos cada vez mais de veículos que não necessitam de um ser humano para os conduzir, da IoT e da indústria 4.0 onde a intervenção humana é cada vez menor ou nula.

Outros dos temas de grande importância discutido neste Web Summit foi sem dúvida o ambiente e a questão do aquecimento global. Al Gore fez um discurso bastante interessante e tudo aponta para que os principais líderes políticos estejam a ignorar esta questão num ano onde os desastres naturais registados foram de grande violência. A igualdade de género nas tecnologias, o tema da transexualidade e também a questão sobre as figuras públicas poderem exprimir livremente as suas opiniões políticas também cativaram o interesse dos presentes no Web Summit.

De notar também que fez durante este Web Summit passou um ano sobre a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais dos Estados Unidos da América e as vozes de discórdia sobre esta eleição fizeram-se ecoar novamente durante o evento este ano, tal como aconteceu no ano passado.

Publicidade

Uma das principais razões de protesto (entre muitas outras polémicas) contra o atual líder norte-americano prende-se precisamente com a questão do ambiente e do aquecimento global.

Mas o Web Summit não são só conferências e debates, várias empresas da área das tecnologias e das telecomunicações aproveitaram para mostrar aos visitantes as suas principais novidades, e não foi só. Foi possível ver robôs a desenhar e impressoras 3D a imprimir perante os olhos dos visitantes várias peças a três dimensões, por exemplo.

Foi mais um ano recheado de novidades, vamos ver que surpresas o evento terá em 2018, os pré-registos para o Web Summit 2018 já começaram. Até lá sempre podemos rever alguns dos principais acontecimentos do evento na página do Facebook do Web Summit. #start-ups