"Não as aumentem nem retoquem", terá advertido Keira Knightley à Interview, referindo-se aos seus seios expostos nas páginas da revista norte-americana à qual deu uma entrevista e para a qual aceitou posar semi-nua.

Ao The Times of London, a actriz explicou o motivo pelo qual se deixou fotografar daquela forma por Patrick Demarchelier: "O meu corpo já foi manipulado tão diversas vezes por tão diversas razões, seja em fotos de paparazzi ou posters de filmes. Essa foi uma [sessão fotográfica] em que disse, 'Pronto, não me importo de fazer topless desde que não as aumentem ou retoquem'. Porque parece-me importante dizer que não importa a forma da silhueta que se tem".

Publicidade
Publicidade

No entanto, para a indústria cinematográfica, o tamanho parece importar, já que o volume do peito de Knightley já foi aumentado em posters como o do filme de 2004 "Rei Artur". A actriz fala sobre a imagem da mulher na sociedade actual à publicação britânica, o que poderá explicar o uso de Photoshop e outros programas de edição de imagem que acabam por mudar características corporais. "Penso que o corpo das mulheres é um campo de batalha e que a fotografia é parcialmente culpada. É muito mais fácil usar a imagem de uma pessoa sem formas. Simplesmente é. Na realidade, é preciso um tremendo talento para capturar a silhueta de uma mulher e fazê-la parecer tal como é na vida real, que é sempre bonito", explicou.

"O Corpo Perfeito" gera contestação

Keira Knightley não foi a única que se insurgiu contra os parâmetros de #Beleza divulgados por empresas.

Publicidade

Recentemente, uma campanha da Victoria's Secret com o slogan "The Perfect Body" ("O Corpo Perfeito", em português) gerou uma onda de contestação e motivou uma petição online, que já conta com quase 30 mil assinaturas, para que a empresa de lingerie mudasse a publicidade e pedisse desculpas.

A polémica relaciona-se com o facto de o slogan surgir junto à imagem de algumas modelos, parecendo indicar que a sua silhueta é "perfeita", apesar de a frase ser um trocadilho com a palavra "Body", que significa corpo mas que dá nome à recente linha de sutiãs da marca.

Diz o texto da petição: "Todos os dias, as mulheres são bombardeadas com anúncios publicitários com o intuito de as fazerem sentir-se inseguras com o seu corpo (...). Tudo o que isto faz é perpetuar a baixa auto-estima entre mulheres que são levadas a sentir que os seus corpos são inadequados e pouco atractivos por não se enquadrarem num padrão de beleza restrito. Esta campanha de marketing é perigosa (...). A Victoria's Secret é imensamente popular entre mulheres jovens e tem a responsabilidade crucial de não usar ideias perigosas e pouco saudáveis para publicitar os seus produtos".

Publicidade

Nas redes sociais, milhares de mulheres criticaram a Victoria's Secret através da hashtag #iamperfect ("sou perfeita", em português) e até a marca Dove reagiu com um poster que mostra várias mulheres que aparentam ter mais peso do que as modelos da Victoria's Secret e que diz: "The Perfect Real Body" ("O Corpo Perfeito Real", em português).

A Victoria's Secret não reagiu publicamente às críticas nem fez o pedido de desculpas solicitado, mas no seu site, o slogan já mudou para "A Body For Every Body" ("Um Body Para Todos Os Corpos", em português). #Famosos