A Praça do Mar, no Funchal, tem um novo inquilino que...parece não estar a agradar a todos. Pelo menos aos que por lá não vivem. O que até Domingo à noite parecia ser uma "homenagem bonita em vida" a Cristiano Ronaldo e um orgulho para o povo madeirense, virou chacota horas depois. Durante o dia de ontem e nas páginas dos jornais de hoje, os elogios ficam de lado, dando protagonismo aos pormenores.

Se há alguns meios que destacam a ambição do jogador luso e o facto de Cristiano Ronaldo "não esquecer as raízes" e ter marcado presença num momento especial como este, outros preferem focar as atenções nas medidas da estátua. Numa entrevista a um meio de comunicação brasileiro, Ricardo Veloza, o autor da obra, que retrata o jogador numa posição sua "muito característica", a marcar livres, de braços abertas e de olhos postos na baliza, afirma que o mais complicado foi conceber o rosto, por causa das rugas; no entanto, para a "má-língua" o problema da estátua é um problema de dimensões, não de pormenor.

A estátua de CR7, esculpida em bronze, com 3,4 metros de altura e 800 quilos, evidencia em exagero, de acordo com alguns meios internacionais, algumas partes do corpo do jogador. Por cá, o problema pode ter sido agravado pelo facto da família de Cristiano Ronaldo ter pago parte da estátua (60 mil euros), algo que não passou ao lado de Francisco Louçã. Na sua crónica no jornal Público, o político afirma que o escultor decidiu realçar esta parte do corpo para "cultivar a lenda" que é Ronaldo: "E essa lenda alimenta-se vorazmente de símbolos, de provocações e, sempre, dessa manifestação do imenso poder comunicacional que é atravessar a estrada para um certo lado selvagem, mito ou realidade, para o lugar onde só chegam os que vemos ao longe ao longe, porque se pavoneiam para nós".

Críticas de fora, o trabalho parecer ter agradado a Cristiano Ronaldo que, parecendo que não, também tem uma palavra a dizer. No final da cerimónia de inauguração o jogador madeirense afirmou que a estátua "está muito bonita. Mais bonita do que eu". Na mesma ocasião, o número sete da selecção portuguesa afirmou que "é sempre um privilégio" voltar à sua terra natal e que há ali "uma energia muito positiva". #Famosos #Futebol