Nos últimos 20 anos, assistiram-se a várias #Séries nacionais de enorme qualidade. A maioria foi produzida entre 1995-2000. Nos últimos tempos, a qualidade televisiva está cada vez mais em causa. A aposta neste tipo de formatos, tem sido reduzida. Este artigo relembra algumas das mais marcantes produções, emitidas nos canais generalistas na últimas duas décadas.

A versão televisiva das Lições do Tonecas, foi inspirada no programa da Rádio Clube Português com o mesmo nome. Chegou à RTP em 1996, durando até 1999. A história decorria numa sala de aula. De forma divertida e pedagógica: o professor interpretado por Morais e Castro esforçava-se por ensinar os seus alunos, mas o irreverente, alegre e cábula menino Tonecas (Luís Aleluia) impedia-o de ser bem sucedido.

Publicidade
Publicidade

Por vezes, os atores Linda Silva, Rui Luís e Luísa Barbosa, que representavam os familiares do "Tonecas", assistiam às aulas. Houve outras participações especiais, como por exemplo Alexandra Lencastre, Fernando Mendes ou Quim Barreiros.

Médico de Família, foi um estrondoso sucesso da SIC. Mesmo com Herman José, na RTP no mesmo horário (ainda na sua grande fase televisiva), este formato adaptado da série original espanhola conseguiu ser líder de audiências. Transmitida entre 1998 e 2000, esta série, contava as peripécias do médico Diogo (Fernando Luís) e da sua família. O elenco era de luxo e contava com várias "caras" já bem conhecidas, como: Rita Blanco, Filipe Ferrer, São José Lapa, Maria João Abreu, José Raposo, ou Rui Paulo. Também novos talentos foram dados a conhecer, sendo que muitos deles depois deste sucesso têm sido, ou foram uma presença regular na #Televisão, tais como o já referido Fernando Luís, o protagonista desta história que antes da série era praticamente desconhecido e atualmente é um conceituado ator com várias participações de grande qualidade em diversos produtos televisivos; e Henrique Mendes, um rosto admirado pelos portugueses enquanto apresentador, mas desconhecida era a sua faceta de ator.

Publicidade

Após este êxito continou a explorar a representação até 2004, ano em que faleceu.

Emitida em 2004 e 2005, e que ainda hoje é reposta (com valores interessantes) nas manhãs de fim de semana na TVI, a série Inspetor Max foi um sucesso idealizado pelas Produções Fictícias e por Virgílio Castelo. Retrata a história de Max, um cão muito inteligente que foi adoptado pela família de Jorge Mendes (Fernando Luís). Jorge é viúvo e procura com dificuldade conciliar o trabalho com a vida privada. Vive com os seus 2 filhos Tiago (Afonso Maló) e Catarina (Sara Buttler), e com o amável sogro João (Ruy de Carvalho). Jorge é disputado pelas suas superioras: Graça (Fátima Bello - 1ª temporada), Graça (Sílvia Rizzo - 2ª temporada) e ainda pela jornalista Júlia (Sandra Celas). Em todos os episódios paralelamente à vida familiar, existe um mistério para a brigada policial da PJ de Setúbal resolver. Max, pelas suas incríveis habilidades, é uma peça chave para resolução dos casos. #Entretenimento