Sim, parece que vem aí mais um. Estava a tornar-se estranha esta falta de adopção durante tanto tempo por parte da família Jolie-Pitt. Até parecia que finalmente tinham decidido parar. Mas não; a revista australiana "Women's Day" avança a notícia de que o casal irá adoptar mais um filho.

Supostamente será um menino da Síria, com dois anos de idade e de nome Moussa. A viver actualmente num campo de refugiados na Turquia, a criança terá chamado a atenção de Angelina aquando da sua visita ao referido local. A actriz é o rosto da Agência das Nações Unidas para os Refugiados e em 2012 foi nomeada Enviada Especial do Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados (cargo que é ocupado por António Guterres).

Publicidade
Publicidade

Sendo que a guerra no seu país tem a capacidade de destruir qualquer chance de futuro para Moussa, que é órfão, parece que a família mais multicultural do momento irá entrar em acção novamente. A serem verdadeiros os rumores, Moussa irá ser irmão de Maddox, Pax e Zahara (igualmente adoptados em condições semelhantes e de 13, 11 e nove anos, respectivamente), e dos três filhos biológicos do casal, Shiloh, oito anos, e os gémeos Vivienne e Knox, de cinco anos. Moussa poderá tornar-se assim no sétimo filho dos actores.

E apesar de Jolie ser alvo de brincadeiras (das quais é fácil participar) por já ter adoptado tantas crianças, claramente é de louvar a atitude de proporcionar uma hipótese de vida a órfãos, principalmente em cenários de guerra. A comprovar os seus ideais e valores, a actriz inaugurou hoje, em Londres, o primeiro centro académico europeu de combate à violência contra as mulheres em zonas precárias.

Publicidade

Na cerimónia de inauguração Angelina Jolie disse: "Estou entusiasmada ao pensar em todos os estudantes que nos próximos anos vão estudar neste novo centro. Não haverá um futuro estável num mundo em que os crimes cometidos contra as mulheres fiquem impunes", afirmou, segundo o "Expresso". O centro promete chamar a atenção, através de várias campanhas, para os direitos das mulheres e para as violações que se cometem em cenários de guerra. #Famosos