Daqui a um mês, Rita Guerra sobe ao palco do Coliseu do Porto para cantar e encantar com o tom de voz que irradia ternura e aconchego. Precisamente tudo o que não teve durante o seu primeiro casamento. As páginas da primeira biografia da cantora percorrem episódios de violência doméstica, de sofrimento e de um nascimento: Nuno, o filho mais velho, fruto dessa relação turbulenta.

"Já sofri agressões físicas, já vivi presa em casa, fechada à chave e proibida de falar com a minha família. Sei o que é viver sob ameaças, acordar e deitar-me com medo, daquele que paralisa. Sei o que é violência e sei o que é o medo. E sei que são inseparáveis", conta a atriz na biografia.

Publicidade
Publicidade

Aos 47 anos, Rita Guerra recua até ao momento em que tinha 16 anos e começa a dar corpo a "No meu canto - Todos temos o direito de ser felizes!". "Após a cerimónia (de casamento), foram-me dadas, pelo meu marido, as directrizes de como as coisas passariam a funcionar a partir dali". E uma dessas directrizes, escreve a atriz, era clara: "Fui praticamente proibida de falar com os meus pais".

A relação durou quatro anos e deu um fruto: Nuno, hoje com 30 anos e pai da pequena Madalena, o que faz de Rita Guerra uma avó "babada e muito centrada na família". E é precisamente a família outro dos temas abordados no livro. Apesar de ter sofrido uma depressão e de referir que teve "algumas relações falhadas", ter mais filhos era um dos objectivos da cantora e concretizou-se. Fruto de outras relações nasceram mais dois rebentos: Diogo, hoje com 23 anos e ainda Madalena, com oito anos.

Publicidade

"Aos meus filhos nunca lhes escondi nada e nem nunca tive tabus com eles. Eles já conhecem toda a minha história", garante Rita Guerra, que assim esclarece que nada do que vai partilhar com o público irá surpreender os três filhos. "Quando lerem o livro todos vão perceber porque foi lançado e porque revelo estes temas", explicou a atriz à margem da antestreia do filme "Sniper Americano". A carreira é também um capítulo importante na vida de Rita Guerra e não deixa de ser referido na biografia que deverá chegar às bancas em meados de Março. #Famosos